Troca de tubulação interrompe acessos na Brasil

Revitalização do trecho deve chegar até a Saldanha Marinho no fim de janeiro

Por
· 1 min de leitura
Empresa troca tubulação para melhorar escoamento pluvialEmpresa troca tubulação para melhorar escoamento pluvial
Empresa troca tubulação para melhorar escoamento pluvial
Você prefere ouvir essa matéria?

Desde sexta-feira da semana passada a empresa Bolognesi, responsável pela revitalização da Avenida Brasil, está trocando a tubulação do escoamento pluvial no trecho entre a Ponte do Rio Passo Fundo até pouco antes da Ângelo Preto. Desta forma, as conversões da rua Ângelo Pretto e na Fidêncio Franciosi foram bloqueadas. De quem se dirige da Petrópolis para o centro, o acesso deverá ser feito pela avenida Sete de Setembro, nos fundos do Bourbon. 

Até o fim do mês de janeiro, a prefeitura pretende concluir o trecho até a rua Saldanha Marinho, segundo informou o engenheiro e secretário-adjunto de Obras, Gustavo Heurich. O município deverá fazer um aditivo de tempo com a empresa responsável, já que o prazo para entrega total da obra encerra em março. Como ainda restam cerca de 40%, é possível que o trabalho perdure até o fim deste ano.

Ligação de esgoto

A partir da rua Saldanha Marinho, a Bolognesi também será responsável pela troca da tubulação da rede de esgoto, até a Teixeira Soares. Serão trocados os tubos de cerâmica, instalados há mais de 40 anos, por PVC, que são mais flexíveis. A opção por deixar que a mesma empresa faça a troca da tubulação foi estratégica, segundo Heurich. “É muito complicado administrar a logística e o cronograma de duas empresas na mesmo espaço. Já tivemos outras experiências que não deram muito certo”, completou. A alternativa foi fazer um convênio entre município e Corsan, que repassou os valores correspondentes a esta obra. Foram R$ 1,8 milhão, que atualizados devem chegar a R$ 2 milhões e que já estão incluídos no valor total de R$ 17 milhões.

Ciclovias

Sobre a ciclofaixa, Heurich disse que ela termina em frente a prefeitura e que, neste momento, não há como estender até o centro. Um estudo deverá ser feito para viabilizar esta ligação. Conforme o engenheiro, a partir da Ângelo Preto, não há como reduzir faixa de rolamento para ciclovia. O ponto crítico está próximo a Praça Tochetto, ainda mais estreito.  Mas, garante que estudos estão sendo feitos para ver qual a forma mais segura de fazer a ligação.

 

Gostou? Compartilhe