Possibilidade de racionamento de água pode ser reavaliada

Se as previsões de chuvas para os próximos dias não se confirmarem, medida passa a ser considerada pela Corsan

Por
· 2 min de leitura
Luciano Breitkreitz / ON Luciano Breitkreitz / ON
Luciano Breitkreitz / ON
Você prefere ouvir essa matéria?

Em meio à crise da pandemia de Covid-19, a população gaúcha passa por uma das maiores crises hídricas da sua história, até esta quinta-feira (14), 380 municípios gaúchos já haviam decretado situação de emergência por conta da falta de chuva. 

Em Passo Fundo, a prefeitura decretou situação de emergência nas áreas rurais do município em razão do agravamento das perdas provocadas pela estiagem. O documento publicado na sexta-feira (8), reporta "sérios danos" causados a 302 famílias de agricultores, que convivem com a falta de água nessas localidades da zona rural, e prejuízos significativos às culturas de soja, milho e pecuária leiteira. 

Na área urbana de Passo Fundo, a falta de chuva traz preocupações para o abastecimento de água. As duas barragens que abastecem a cidade estão com os níveis muito abaixo do normal. Na Barragem do Miranda, o nível da água está 2,30 metros abaixo do normal, e na Barragem da Brigada, a situação é ainda mais grave, com 3,35 abaixo. 

Segundo o superintendente regional da Corsan, Aldomir Santi, esta já é considerada  uma das maiores estiagens registradas no Rio Grande do Sul,  e se estende há pelo menos um ano. Segundo o levantamento da Corsan, neste periodo  choveu 555,9 milímetros menos da média histórica.  “A situação é preocupante, pois vem se acumulando nos últimos 12 meses e as previsões de chuva acabaram não se confirmando, como ocorreu  na última semana, quando esperávamos 40mm e choveu apenas 4mm” explica. 

Para garantir o abastecimento, a Corsan está realizando desde o dia 2 de março a transposição das águas do  rio Jacuí, e desde 28 de março, a transposição das águas da pedreira da Brigada Militar. Mesmo que o volume transposto não seja o suficiente para repor a água dos reservatórios que abastecem Passo Fundo, a medida  está sendo suficiente para desacelerar a queda do nível da água. “Estamos registrando uma média de 5 a 7 cm todos os dias de queda no nível das barragens”, esclareceu Santi. 

O superintendente destaca que neste momento, a população precisa dosar o consumo de água, utilizar somente para o que é necessário, e evitar o desperdício. “Há previsão de chuva para as próximas semanas, mas não sabemos se essas previsões vão se confirmar, então é possível que o panorama continue se agravando”, explicou ele. 

Em um curto prazo a possibilidade de racionamento na cidade de Passo Fundo está descartada, porém, nos próximos dias esta situação pode ser reavaliada.


- Volume de Chuva nos últimos 12 meses comparada com médica história. Em apenas dois meses (Out/2019 e Jan/2020) choveu acima da média: 

Mês

Média História (mm)

Quantidade registrada (mm)

Jun/2019

133,6

28,8

Jul/2019

161,8

112,8

Ago/2019

187,8

64,3

Set/2019

197,7

55,8

Out/2019

152,9

337,0

Nov/2019

131,7

115,5

Dez/2019

173,7

46,0

Jan/2020

149,7

226,7

Fev/2020

165,8

84,6

Mar/2020

134,9

19,2

Abr/2020

99,7

40,6




Gostou? Compartilhe