APAE Passo Fundo adota modalidade de atendimentos a distância

Os funcionários da entidade retornaram ao trabalho para atender alunos e usuários, temporariamente, de forma virtual

Por
· 1 min de leitura
Entre os atendimentos online está a estimulação precoce, que visa manter o contato entre profissional e usuário da APAE (Foto: Felipe Souza/Ascom APAE)Entre os atendimentos online está a estimulação precoce, que visa manter o contato entre profissional e usuário da APAE (Foto: Felipe Souza/Ascom APAE)
Entre os atendimentos online está a estimulação precoce, que visa manter o contato entre profissional e usuário da APAE (Foto: Felipe Souza/Ascom APAE)
Você prefere ouvir essa matéria?

Os atendimentos presenciais aos usuários e alunos da Associação de Pais e Amigos do Excepcionais (APAE) de Passo Fundo seguem suspensos devido ao novo coronavírus. No entanto, os funcionários das políticas de Saúde, Assistência Social e Educação da entidade atenderão pela modalidade de teleatendimento, ou seja, manterão contato via chamada de voz e de vídeo. Além disso, os profissionais de educação estão encaminhando atividades e sugestões de recreação por telefone, redes sociais e impressos.

Os profissionais retornaram ao trabalho presencial na última semana após dois meses de suspensão das atividades devido ao novo coronavírus.

Novos desafios

Para a presidente da APAE, Maria do Carmo Ortolan Grazziotin, o momento é de revisão e adaptação das atividades e dos atendimentos. “O momento é delicado para todas as áreas e reinventar, talvez, seja a palavra do momento em todos os setores. A pandemia nos trouxe muitos medos, angústias e obstáculos, mas de uma coisa temos certeza: a APAE vai continuar”, destaca.

Segundo ela, os profissionais da entidade serão instigados a levar o conhecimento e usarem de suas capacidades para chegarem “do outro lado”. “Iremos, juntos, fazer um trabalho até então desconhecido; chegarmos aos usuários de uma forma nova, mas que possamos passar mensagem de esperança e otimismo. Trabalhar em um novo formato até que tudo volte a ser possível, presencialmente, como antes, sem deixar de oferecer o nosso melhor para despertar neles seus talentos e autonomia”, salienta Maria do Carmo.

Gostou? Compartilhe