Prefeitura de Passo Fundo vai comprar 15 mil comprimidos de hidroxicloroquina

Abertura de edital está prevista para a quinta-feira (2)

Por
· 2 min de leitura
Foto: Reuters/Agência BrasilFoto: Reuters/Agência Brasil
Foto: Reuters/Agência Brasil
Você prefere ouvir essa matéria?

A Prefeitura Municipal de Passo Fundo vai adquirir 15 mil comprimidos de hidroxicloroquina (400mg) para tratamento de pacientes com sintomas leves de coronavírus.  

Em aviso de licitação, publicado na sexta-feira (26), o certame acontece em caráter emergencial para atender a medida provisória que diz respeito ao enfrentamento da pandemia da Covid-19.  

Image title

Pregão eletrônico foi publicado em caráter emergencial. Foto: Reprodução/PMPF


Embora não haja eficácia comprovada do medicamento em casos positivos da doença, o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS) enviou um ofício à administração municipal destacando negativamente a conduta de não prescrever a cloroquina e a hidroxocloroquina no tratamento da doença entre os critérios de atendimento e encaminhamento em casos de síndrome gripal e síndrome respiratória aguda grave, com diagnóstico confirmado ou não de covid-19. “Ademais, a não indicação para uso rotineiro em casos leves está em desacordo com o entendimento de grande parte da comunidade médica de Passo Fundo e contraria, inclusive, o posicionamento de médicos que foram consultados quando do processo de elaboração do Protocolo”, diz o documento.  

Ainda conforme o texto, 71,2% dos médicos entrevistados em uma pesquisa elaborada pela entidade sindical se manifestaram favoráveis ao uso da medicação em pacientes adultos com sintomas leves.  

A tomada de preços será financiada pelo fundo de Ações e Serviços Públicos de Saúde. 

Pesquisas retomadas

Um teste global concebido para analisar se os remédios antimalária hidroxicloroquina e cloroquina podem evitar infecções da covid-19 deve recomeçar depois de ser aprovado por agências reguladoras do Reino Unido.

A Agência Regulatória de Remédios e Produtos de Saúde tomou a decisão a respeito do que é conhecido como teste Copcov depois que outro teste britânico de hidroxicloroquina mostrar que o remédio não oferece benefícios no tratamento de pacientes já infectados com covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus.

O estudo Copcov foi suspenso após os resultados do teste de tratamento e aguarda análise.

Trata-se de um teste aleatório com placebo que visa recrutar 40 mil profissionais de saúde e outros trabalhadores em risco em todo o mundo, e está sendo realizado pela Unidade de Pesquisa de Medicina Tropical Mahidol Oxford da Universidade de Oxford na capital tailandesa Bangcoc. As informações são da Agência Brasil. 

Em março, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que a hidroxicloroquina poderia ser um divisor de águas e depois disse que ele mesmo a estava usando, apesar de a Agência de Alimentos e Remédios (FDA), o organismo regulador norte-americano, alertar que sua eficiência e sua segurança não estão comprovados.

Mais tarde, a FDA revogou a autorização do uso de emergência para os remédios para tratar covid-19 depois que testes mostraram que elas não trazem benefícios no tratamento.

Mas White, que está coliderando o teste Copcov, disse que estudos dos remédios como medicamentos preventivos em potencial ainda não geraram uma resposta conclusiva.

Gostou? Compartilhe