Com redução de alunos e medidas de segurança, escolas particulares retomam atividades

Decreto municipal habilitou a abertura dos educandários infantis a partir de terça-feira (3)

Por
· 2 min de leitura
Abertura das escolas de educação infantil, com até 200 estudantes, integra a primeira etapa do Plano de Retorno Seguro dos educandários da cidade (Foto: Gerson Lopes/ON)Abertura das escolas de educação infantil, com até 200 estudantes, integra a primeira etapa do Plano de Retorno Seguro dos educandários da cidade (Foto: Gerson Lopes/ON)
Abertura das escolas de educação infantil, com até 200 estudantes, integra a primeira etapa do Plano de Retorno Seguro dos educandários da cidade (Foto: Gerson Lopes/ON)
Você prefere ouvir essa matéria?

Passados 220 dias a portas fechadas, foi a voz do primeiro aluno, a poucos metros da Escola de Educação Infantil Pequeno Aprendiz nas primeiras horas da manhã, que indicou a retomada presencial das atividades educativas nos centros de ensino particulares infantis de Passo Fundo na terça-feira (3).

Sem a possibilidade de contato físico que habilitaria um abraço caloroso em cada um dos 30 alunos após oito meses de atividades remotas, a alegria de rever os pequenos estudantes foi expressada pelo olhar e pelo sorriso encoberto pela máscara de proteção da diretora, Paula Ribeiro Manfredini. Às 7h da manhã, ela já estava posicionada na entrada do centro de ensino a esperar pelas crianças que, uma a uma, tiveram as temperaturas corporais aferidas e as mãos higienizadas antes de se dirigirem às salas de aula. “O retorno foi no momento certo. Os alunos também precisavam disso porque eles estavam com saudade e chegaram dizendo ‘eu estou aqui outra vez’”, conta.

Essa abertura das escolas de educação infantil, com até 200 estudantes, integra a primeira etapa do Plano de Retorno Seguro dos educandários da cidade, comunicado no dia 23 de outubro pelo prefeito de Passo Fundo, Luciano Azevedo. Com isso, as cerca de 55 instituições privadas que trabalham exclusivamente com alunos em idade de alfabetização presentes no município voltaram às atividades presenciais após receberem uma certificação da Vigilância Sanitária, que atesta o cumprimento e adoção de todas as normas de segurança para os estudantes, professores e funcionários. “Agora, as turmas foram reduzidas a 8 alunos sendo assistidos por 10 educadores. Antes disso, enviávamos as atividades na casa dos estudantes por um motoboy”, afirma Paula.

As incertezas sobre a evolução da pandemia e os novos protocolos para mitigação do coronavírus refletiu, diretamente, no número de matrículas. Do início do ciclo letivo até a volta presencial, a Escola Pequeno Aprendiz perdeu 70% dos educandos com idades entre 4 meses a 5 anos. A questão financeira e a falta de clareza sobre uma possível retomada, para a diretora, explicam essa diminuição na lista de chamada. Mas, o impacto econômico não se restringiu apenas a este centro de ensino. Fechada desde o dia 18 de março, a Escola de Educação Infantil Brilho de Sol também lamentou a retirada de alunos do processo de aprendizagem no espaço privado de ensino.

De 70 estudantes, a instituição, presente no cenário educacional passo-fundense há 30 anos, reabriu com a volta das 20 crianças que permaneceram realizando atividades pedagógicas remotas. "A escola está alinhada e aliada aos pais. Trabalhando juntos, vai dar tudo certo", ressaltou a diretora, Karine Accadrolli.

Professores testados

Condicionante para a retomada das atividades educativas, todos os professores e funcionários das escolinhas infantis particulares realizaram os testes rápidos para a detecção ou descarte de uma contaminação pelo SARS-CoV-2. O manejo das sorologias foi liderado pelo Laboratório de Análises Clínicas Escola (Labe), do curso de Farmácia da Universidade de Passo Fundo (UPF), em um convênio firmado com a Prefeitura de Passo Fundo.

Conforme explicou a farmacêutica bioquímica responsável técnica do laboratório, Salua Younes, na segunda-feira (26), a equipe passou por um treinamento, iniciando os testes na terça-feira (27). Os exames foram custeados pelo governo municipal, segundo atestou a secretária de Saúde, Carla Beatrice Crivellaro Gonçalves.



Como é feito o teste para Covid-19

O resultado dos testes rápidos para a Covid-19 fica pronto em 20 minutos e avaliam a presença de dois tipos de anticorpos diferentes: IgG e IgM. A realização do teste consiste na coleta e no manuseio de algumas gotas do sangue da pessoa a ser testada. O sangue é exposto ao reagente que, quando entra em contato com os anticorpos, muda de cor. Caso a pessoa tenha produzido anticorpos para o novo coronavírus, duas faixas coloridas aparecerão no mostrador e o resultado é positivo. Caso o sangue não apresente anticorpos, aparece apenas uma faixa e o resultado é negativo. Os professores e funcionários já saem com os resultados da testagem realizada pela UPF.


Gostou? Compartilhe