Rede municipal define retorno às aulas em formato remoto

Ano letivo inicia no dia 1º de março com atividades pedagógicas mantidas à distância.

Por
· 3 min de leitura
 Professores e servidores das escolas terão cursos de formação continuada a partir desta segunda-feira (22) (Foto: Divulgação) Professores e servidores das escolas terão cursos de formação continuada a partir desta segunda-feira (22) (Foto: Divulgação)
Professores e servidores das escolas terão cursos de formação continuada a partir desta segunda-feira (22) (Foto: Divulgação)
Você prefere ouvir essa matéria?

O retorno às aulas na rede municipal de ensino, a partir do dia 1º de março, será no formato remoto com as atividades pedagógicas mantidas à distância. A decisão foi divulgada nesta sexta-feira (19). “Entendemos que a retomada do ano letivo em 2021 precisa ser feita com a confiança necessária para garantirmos tanto as questões pedagógicas quanto a saúde da nossa comunidade escolar”, avalia o prefeito Pedro Almeida. O motivo seria a preocupação com a proteção e a segurança sanitária de professores, servidores de escolas e alunos.

A Secretaria Municipal de Educação (SME) está estruturando as escolas e organizando formações continuadas para capacitar os professores e as equipes diretivas. O objetivo, explica o secretário de Educação, Adriano Canabarro Teixeira, é assegurar que todos os alunos sejam acolhidos em suas respectivas instituições de ensino. “Nós temos uma série de desafios para serem vencidos. A organização logística das escolas é um deles. Diferente da rede privada, por exemplo, o Município tem complexidades e singularidades como os ajustes nas mais de 40 linhas de transporte escolar, a adequação dos 5 mil alunos da Educação Infantil e 11.700 do Ensino Fundamental e na gestão dos cerca de 1.700 servidores, entre professores, equipes diretivas e demais servidores”, pontua Teixeira.

O secretário de Educação reforça ainda que a definição pela retomada no formato remoto vem acompanhada de ações paralelas que vão permitir à Secretaria qualificar os projetos pedagógicos e recuperar a aprendizagem de conteúdos que não foram totalmente aprendidos pelos estudantes no ano passado. “Esta é também uma preocupação do nosso setor pedagógico. Por isso, os professores e as equipes diretivas terão acesso a formações continuadas que vão abordar temas como o ensino híbrido, as tecnologias digitais de suporte, a importância da inovação nos processos educativos num contexto de isolamento e da cultura digital em sala de aula e a gestão do ambiente escolar a partir destas novas realidades. Serão mais de trinta atividades durante a semana. Muitas delas darão acesso a trilhas de formação específicas que ocorrerão durante o ano”, explica Teixeira.

As formações iniciam na próxima segunda (22) e se estendem até a sexta-feira (26), com oficinas e plenárias virtuais. “Estes cursos online também estarão disponíveis na plataforma virtual da Secretaria para poderem ser utilizados, posteriormente, em outras atividades”, completa o secretário, analisando que, a partir da retomada, em março, do ano letivo neste modelo será possível preparar a infraestrutura de todas as escolas para uma posterior retomada híbrida. “São processos e etapas que precisam ser aperfeiçoadas junto à comunidade escolar, como o plano de contingenciamento, as qualificações do modelo híbrido a ser adotado a partir de abril junto à Comissão de Planejamento, Monitoramento, Fiscalização e Avaliação das ações para retorno das aulas da Rede Municipal de Ensino, o diagnóstico pedagógico de cada instituição de ensino, a distribuição dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) e a reorganização das salas de aula com o distanciamento necessário”.

Ensino híbrido a partir de abril

O secretário de Educação acredita que será possível, em abril, adotar o modelo híbrido na rede municipal, dependendo do momento da pandemia. “Esse modelo já está em fase de construção e será validado por todas as entidades que compõem o comitê gestor municipal que acompanha a retomada do ano letivo. Defendemos que, em abril, conforme a bandeira vigente nesse período, teremos as condições necessárias para o retorno híbrido dos nossos estudantes”, declara Teixeira.

Em outra frente de trabalho, os gestores, professores e as equipes diretivas das escolas já articulam o cenário de retorno das aulas. Nesta semana, um encontro foi realizado na EMEF Senador Pasqualini. A escola, que está localizada no bairro Vera Cruz e atende mais de 440 alunos, já está preparada para acolher os estudantes, tanto em ambiente virtual quanto no espaço físico, como salientou a diretora da instituição, Eliane Catarina Ortiz. “Nós já organizamos e limpamos a escola. Também realizamos reuniões e fizemos um plano de contingência, pensando no bem-estar de todos”, afirmou.

Gostou? Compartilhe