Atendimentos de Covid-19 caem 71% em Passo Fundo

Ainda assim, secretária municipal de Saúde chama a atenção para o cumprimento das normas sanitárias

Por
· 1 min de leitura
Foto: Diogo Zanatta/PMPFFoto: Diogo Zanatta/PMPF
Foto: Diogo Zanatta/PMPF
Você prefere ouvir essa matéria?

O cenário da Covid-19 em Passo Fundo tem registrado queda em alguns indicadores importantes. Com a intensificação das medidas de distanciamento social e a agilidade na vacinação, hoje a situação é distinta daquela vivenciada em fevereiro, quando o estado enfrentou o pico da pandemia, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

Entre os dados que podem ser utilizados como base de análise, está o número de casos ativos. Em 26 de fevereiro deste ano, o boletim epidemiológico da cidade contabilizava 1.156 pessoas infectadas e não recuperadas. Hoje, no dia 6 de abril, são 410, cerca de 64,5% a menos.

O prefeito Pedro Almeida considera os esforços aplicados pelo Município para frear os casos. “Ao mesmo tempo em que reforçamos a rede de saúde e implementamos medidas de suporte aos hospitais, atendemos às determinações do Distanciamento Controlado do Governo do Estado, fortalecendo a fiscalização”, observou.

Para o prefeito, a vacinação constitui um fator de extrema importância nesse contexto. “Das 15 cidades mais populosas do estado, somos a que mais vacinou. Mais de 15% da nossa população recebeu a primeira dose da vacina e mais de 4% já concluiu o processo de imunização. São números que nos orgulham, pois, por trás deles, há um grande trabalho das equipes de saúde, que estão mobilizadas para acelerar a vacinação”, afirmou.

Num período de pouco mais de um mês, os atendimentos realizados nas unidades referências de Covid-19 também despencaram. Na semana entre os dias 21 e 27 de fevereiro, foram realizadas 2.539 consultas nos Cais Petrópolis e Boqueirão. Em um comparativo com 28 de março a 3 de abril, as unidades registraram uma queda de mais de 71% de pacientes atendidos, de acordo com a assessoria de imprensa do governo municipal.

Terceira unidade

Além desses locais, o município conta com uma terceira unidade de referência. Desde que foi adaptado para Covid-19, no mês passado, o Cais São Cristóvão também apresenta uma diminuição acentuada de atendimentos, passando de 196 para 70 na última semana.

A secretária de Saúde, Cristine Pilati, destaca que a atenuação da pandemia não significa que as pessoas podem deixar de lado a prevenção. Ao contrário, é preciso que a população siga mantendo o distanciamento e efetuando os demais cuidados. “A luta é de todos nós. Cada um tem a responsabilidade fazer a sua parte para que consigamos reduzir ainda mais os casos e vencer a pandemia. A utilização de máscaras, a higienização das mãos e evitar o contato social são fundamentais”, afirma.



Gostou? Compartilhe