Curso de Agronomia da UPF completa 60 anos de história

Ao longo de seis décadas, o curso foi responsável pela formação de cerca de três mil agrônomos

Por
· 6 min de leitura
A foto de 12 de outubro de 1983, no Dia do Engenheiro Agrônomo, mostra o professor Dirceu Vieira Torres, o então vice-reitor Agostinho Both e o então diretor da Unidade Acadêmica, Elmar Floss, além de acadêmicos do curso, reunidos para celebrar a data e fazer o plantio completo das árvores. Na época, um representante da cada turma esteve presente na solenidadeA foto de 12 de outubro de 1983, no Dia do Engenheiro Agrônomo, mostra o professor Dirceu Vieira Torres, o então vice-reitor Agostinho Both e o então diretor da Unidade Acadêmica, Elmar Floss, além de acadêmicos do curso, reunidos para celebrar a data e fazer o plantio completo das árvores. Na época, um representante da cada turma esteve presente na solenidade
A foto de 12 de outubro de 1983, no Dia do Engenheiro Agrônomo, mostra o professor Dirceu Vieira Torres, o então vice-reitor Agostinho Both e o então diretor da Unidade Acadêmica, Elmar Floss, além de acadêmicos do curso, reunidos para celebrar a data e fazer o plantio completo das árvores. Na época, um representante da cada turma esteve presente na solenidade
Você prefere ouvir essa matéria?

O curso de Agronomia da Universidade de Passo Fundo (UPF) completa 60 anos em 2021. Uma trajetória de trabalho que se destaca pela excelência no ensino e infraestrutura de ponta oferecida aos acadêmicos. Desde a concepção do curso, cerca de três mil profissionais já foram formados pela Instituição.

A história do curso iniciou no dia 19 de setembro de 1960, na Sala da Congregação da Faculdade de Direito, em ata nº 1 “Ata de Fundação da Escola de Agronomia de Passo Fundo”, ocasião em que se decidiu por unanimidade que se enviasse mensagem ao governador Leonel Brizola, descrito como o “patrono da escola”, falando a respeito da necessidade do curso.

Em 3 de maio de 1961 foi apresentada a denominação “Faculdade de Agronomia”, que é mantida pela Sociedade Pró-Universidade de Passo Fundo, onde foi oficiado da “notícia da autorização” para funcionamento da Faculdade de Agronomia e lido o edital de abertura das inscrições. Dessa forma, a autorização de funcionamento ocorreu pelo decreto federal nº 50.665, em 24 de maio 1961. “Na sessão esteve presente o presidente da Sociedade Pró-Universidade (SPU) de Passo Fundo, o Dr. Cesar Santos. Ficou deliberado que o Dr. Reissoly José dos Santos iria a Porto Alegre, a fim de, em nome do corpo docente da Faculdade, convidar o governador para proferir a aula inaugural. Ficou resolvido também que seria dado ao engenheiro Leonel de Moura Brizola, o diploma de “Honoris Causa” pelos relevantes serviços que prestou à criação da Faculdade de Agronomia”, relata o coordenador do curso de Agronomia, professor Dr. Vilson Antonio Klein.


No dia 26 de maio 1961 ocorreu de forma oficial as atividades da Faculdade de Agronomia, com a aula magna inaugural proferida pelo então governador, Leonel Brizola. “ Tudo começou em 1961. Após o vestibular e completadas as 20 vagas oferecidas pela Faculdade de Agronomia, as aulas iniciaram em abril nas dependências das faculdades de Direito e de Economia. Entrávamos, através de ampla escadaria pela Avenida Brasil, ladeada pelo Instituto de Belas Artes (à direita) e a escada alta (à esquerda). Nosso diretor foi o professor Flávio Coutinho Annes e o reitor o coordenador da Fundação Pró-Universidade, o Dr. Cézar Santos. Alguns que foram nossos mestres e que hoje me vem a memória são Eurico Spalding, José Finkelstein, Dirceu V. Torres, Augusto Paiva Neto, Rui Schardong, Jesuíno Dávila, Paulo Hélio Meyrer”, relata o estudante da primeira turma, o engenheiro agrônomo, Eduardo Loureiro.

 

Desenvolvimento regional

Segundo o diretor da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária (FAMV), professor Dr. Eraldo Zanella, falar do curso de Agronomia da UPF sempre é motivo de muito orgulho. “Sabe aquele dizer ‘de estar no lugar certo e no momento certo’? Falo isso, pois o curso de Agronomia foi criado em um momento certo em uma região que estava necessitando de profissionais para atuarem como técnicos para o desenvolvimento da agricultura em nossa região. Durante estes 60 anos entregamos para o mercado quase três mil engenheiros agrônomos altamente qualificados, que por sua atuação mudaram, alavancaram a produção e produtividade do setor agrícola não somente na região, mas em diversas fronteiras agrícolas”, comenta Zanella.

Conforme o egresso do curso e professor aposentado Dr. Elmar Floss, a região do Planalto Rio-grandense, no início da década de 1960 estava iniciando a mecanização na agricultura, saindo da pecuária extensiva e familiar, para uma agricultura mais empresarial e intensiva. “Isso demandava tecnologias de manejo das lavouras. Os únicos cursos de Agronomia, na época, eram distantes, em Pelotas (UFPEL) e Porto Alegre (UFRGS). Então havia necessidade de formação de profissionais nessa área e para atender esse anseio da comunidade, por isso a Sociedade Pró-Universidade de Passo Fundo iniciou e uma nova Faculdade de Agronomia era fundada”, conta Floss. 


Visão de futuro

“A criação do curso na região Norte era pela visão de que essa é uma área próspera para o desenvolvimento da agropecuária. Esta decisão depois acabou se confirmando até com a criação do laboratório de solos para realizar as análises de solos dos agricultores, além, obviamente, da formação dos recursos humanos para que o desenvolvimento do agro na nossa região hoje seja um exemplo para o Brasil e o mundo”, destaca o coordenador do curso.

Conforme o diretor Zanella, o curso foi pioneiro também na pós-graduação. “Foi o primeiro curso de pós-graduação da UPF (Mestrado e Doutorado), reforçando a nossa ação no ensino, pesquisa e extensão. A base forte do nosso curso se encontra em um corpo docente altamente qualificado e identificado com as necessidades da atividade agrícola moderna em suas diversas áreas de atuação. Um exemplo disso foi a realização de uma reforma curricular ampla e moderna, sem perder a essência do curso de Agronomia da UPF, a qualidade”, pontuou Zanella.


Aluno símbolo dos 50 anos

Em 2010, Eduardo, egresso da primeira turma de Agronomia, resolveu aprimorar seus conhecimentos iniciando o curso de especialização em Proteção de Plantas. “A UPF já era o gigante que é atualmente e a Faculdade de Agronomia uma das mais conceituadas de nosso país. Concluí o curso em 2011, tendo como orientador de meu trabalho de conclusão do curso o professor, Dr. Erlei Melo Reis, um dos que integraram a primeira turma da Agronomia em 1961. Fui o orador da turma e com surpresa e imensa alegria recebi uma placa designando-me como aluno símbolo dos 50 anos da Faculdade, porque ingressei em 1961, como acadêmico e concluí o curso de especialização em 2011”, comenta Loureiro.


Programas e pesquisas

Em 1977, conforme Floss, foi implantado o Programa de Pesquisa de Aveia, cedido à UPF pela Embrapa Trigo, e, dessa forma, iniciava a pesquisa, de forma multidisciplinar, pioneira no Brasil, em instituições privadas na área da agronomia. “Com o Programa de Capacitação Docente, ao nível de mestrado e doutorado, e, a contratação paulatina de professores em tempo integral, projetos de pesquisa em diversas áreas começam a ser executados, em solos, melhoramento genético, fitotecnia, fitossanidade, biotecnologia, cultivos protegidos, zootecnia, alimentos, dentre outras”, disse.


Infraestrutura

Com infraestrutura diferenciada, as atividades práticas do curso são realizadas nos 270 hectares do Centro de Extensão e Pesquisas Agropecuárias (Cepagro), que está localizado junto ao Campus I, com espaços destinados à pesquisa no campo experimental, vitrine tecnológica, produção zootécnica e de pomar. Os trabalhos de cultivo em ambiente protegido estão distribuídos em estufas agrícolas e uma casa de vegetação. “Ao longo de sua história, a Faculdade de Agronomia da UPF cumpriu seus objetivos como uma das instituições protagonistas do desenvolvimento do agronegócio regional, por meio do ensino, da pesquisa e da extensão, pela formação qualificada de milhares de engenheiros agrônomos e médicos veterinários, a formação de mestres e doutores. A criação de mais 25 cultivares de aveia e batata, o desenvolvimento de tecnologias de manejo de culturas de lavoura, olericultura, fruticultura, fitossanidade, máquinas agrícolas, tecnologia de alimentos, biotecnologia, dentre outras. E, um forte apoio na área de prestação de serviços, por laboratórios e Hospital Veterinário e consultorias e assessorias”, finalizou Floss.


Atuação profissional

O engenheiro agrônomo é essencial para a produção da agricultura e para o agronegócio no Brasil por esse motivo é importante sua atuação. “Vivi grande parte dessa história e tenho muito orgulho de ter sido aluno e professor na Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, de 1972 a 2009, portanto, 41 anos em 60 anos. E, depois de minha família, meu maior patrimônio pessoal, são os ex-alunos de graduação e pós-graduação, com os quais continuo interagindo em atividades profissionais no agronegócio brasileiro”, finaliza Floss.


Agronomia UPF no topo do ranking do RS

Em 2019, o curso de Agronomia da UPF foi considerado o melhor do RS, segundo o Ranking Universitário da Folha (RUF). Neste mesmo ano, ocorreu uma homenagem aos professores que marcaram a história do curso.


Símbolo da Araucária

Cada turma de agrônomos que se forma na UPF deixa sua marca na Instituição. A tradição de plantar uma araucária a cada turma formada, foi iniciada pelo professor Dirceu Vieira Torres, que ministrava a disciplina de Botânica. Por um tempo, a prática ficou adormecida, sendo recuperada em 1983, quando todos os exemplares faltantes foram implantados.

Dessa forma, a história do curso não é contada somente pelos prédios e pessoas que fizeram parte, mas também pelos pinheiros enfileirados que representam cada turma de profissionais da UPF, que adquiriram conhecimento e foram capacitados para atuar no campo de forma efetiva, contribuindo para a produção de alimentos de forma produtiva e sustentável.


Gostou? Compartilhe