LAURO KORTZ - Cronograma em dia e a pista está quase pronta

Aeroporto reabre em 12 de maio, mas as obras prosseguem até dezembro

Por
· 3 min de leitura
Pista: base reestruturada e nova pavimentação - Fotos – LC Schneider-ONPista: base reestruturada e nova pavimentação - Fotos – LC Schneider-ON
Pista: base reestruturada e nova pavimentação - Fotos – LC Schneider-ON
Você prefere ouvir essa matéria?

Um novo cenário mostra a transformação por que passa o Aeroporto Lauro Kortz. O movimento das máquinas levanta poeira, a terraplenagem mudou o relevo e a maioria dos hangares já desapareceu. Mas a novidade fica por conta do novo asfalto da pista, que ganha destaque ao centro de um enorme canteiro de obras. Aguardada por muito tempo, finalmente a propalada reforma do Aeroporto de Passo Fundo materializa-se ao olhar. Ainda faltam oito meses para a conclusão total das obras. Porém, a boa notícia é que o aeroporto, fechado para os trabalhos na pista desde 11 de janeiro, voltará a operar até 12 de maio. Sim, isso porque as obras estão dentro do cronograma. Voltam os pousos e decolagens, mas as obras prosseguem até dezembro. Assim, a partir de maio, haverá uma transição gradual da infraestrutura, de acordo com os patamares das obras.

Fase de transição

Quando voltarem as operações no aeroporto, mesmo com o retorno dos voos regulares, até dezembro será um período de transição conforme explica o diretor do Departamento Aeroportuário do RS (DAP), engenheiro Leandro Taborda. “O aeroporto estará operando com uma pista totalmente recuperada, mas ainda com a estrutura antiga, ou seja, o mesmo terminal de passageiros, pátio de aeronaves e taxiway”. Além disso, tudo funcionará em meio às obras de construção do novo terminal de passageiros, alterações no estacionamento e outras mudanças necessárias para as melhorias. Taborda alerta para que “as pessoas não tenham falsas expectativas em encontrar tudo novo. Ao contrário, até dezembro prevalecerá a velha expressão - desculpe o transtorno, estamos em obras”.

 Gol e Azul

Com a reabertura da pista, prevista para 12 de maio, o Aeroporto Lauro Kortz voltará a operar normalmente. Porém, os primeiros voos serão da aviação executiva. A expectativa é que duas empresas aéreas retomem os voos para Passo Fundo a partir de junho. A Gol, que opera na ligação com Guarulhos, já disponibiliza passagens a partir de junho. A Azul, que havia paralisado as operações em Passo Fundo, vai retornar em junho e também, oferece passagens para o aeroporto de Viracopos. A administradora do Aeroporto, Clarice Beffart, que está afastada para tratamento de saúde, informou que o DAP mantém dois vigilantes e um servente no local. “Depois teremos, ainda, dois líderes de pátio e dois funcionários de apoio”. São os responsáveis pela sinalização de solo aos aviões, com raquetes ou lanternas, dentre outras atividades. Segundo Clarice, a expectativa é que cada empresa mantenha um gerente, dois mecânicos de pista e de quatro a seis atendentes. Já o handling ou serviço de rampa (limpeza e bagagem) será prestado para Azul e Gol por uma mesma empresa terceirizada.

 O que mudou na pista?

 A pista é o principal em um aeroporto. E foi o primeiro ponto a receber melhorias. Toda a estrutura da pista foi reforçada, ganhando uma nova base. Já o revestimento foi feito com cimento asfáltico e polímero, uma espécie de manta. Diante de um vento predominante de través, havia expectativa pelo alargamento da pista do Lauro Kortz para 45 metros. No entanto, permanecerá com largura de 30 metros.
O destaque das melhorias fica por conta do PCN (indicativo da relação de peso aceita para pousos) que chega a 42. Isso significa que o Lauro Kortz poderá ser homologado para receber aeronaves maiores. Outra novidade é que recebeu preparação em consideráveis áreas laterais. Como se a pista estivesse centralizada sobre uma caixa, uma grande tubulação garante a boa drenagem nas laterais do conjunto. Mesmo que ao primeiro olhar o retângulo asfáltico de 1.700 metros de comprimento já esteja atrativo para pousos e decolagens, ainda faltam detalhes importantes.
Em visita às obras na tarde de quinta-feira, o diretor do DAP destacou os próximos passos. “Agora será feito o grooving (ranhuras que aumentam a aderência) e em seguida a sinalização horizontal, a pintura”. A iluminação também foi modernizada, recebendo sistema a LED. Já os equipamentos de auxílio à navegação e orientação de rampa de pousos, de acordo com Taborda, ficam para uma segunda etapa. Ou seja, um cronograma que prioriza o reinício das operações.
 

O que ainda vai mudar?

Se a pista é o principal, as demais estruturas são complementares. Assim, já com a normalização das operações, seguem as obras para construção de um novo terminal de passageiros. Porém, enquanto não estiver pronto, embarques e desembarques permanecem na antiga estação.
De grande valia no aspecto operacional, foi a retirada do barranco e hangares ao lado esquerdo do terminal. O vento Norte predominante, ao passar por esse relevo, produzia uma variação de pressão e chegava à pista como uma espécie de turbulência. O serviço de abastecimento de aeronaves também será relocado. Já as antenas do Cindacta, responsável pelo tráfego aéreo no sul do país, permanecerão próximas ao portão de acesso.
Ainda em fase inicial de terraplenagem, será construído um amplo pátio pavimentado para receber e permitir manobras com mais de quatro aviões do mesmo porte de um Boeing 737. E para que os aviões cheguem ao novo terminal, haverá novas taxiways em ligação com a pista. E tudo isso deverá ficar pronto até dezembro.
 
Gostou? Compartilhe