Sustentabilidade como pilar do cuidado com a saúde

No Hospital São Vicente de Paulo Passo Fundo, a pauta meio ambiente e sustentabilidade é sempre uma preocupação

Por
· 3 min de leitura
Placas de Energia Fotovoltaicas (Foto: Divulgação/HSVP)Placas de Energia Fotovoltaicas (Foto: Divulgação/HSVP)
Placas de Energia Fotovoltaicas (Foto: Divulgação/HSVP)
Você prefere ouvir essa matéria?

O dia 5 de junho é lembrado como Dia Mundial do Meio Ambiente, que neste ano, traz como tema “#GeraçãoRestauração, reimagine, recrie e restaure”, enfatizando que não podemos voltar no tempo e mudar o que já foi feito, mas que é possível restaurar e cuidar, para sermos a geração que fará as pazes com a natureza. No Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo, a pauta meio ambiente e sustentabilidade é sempre uma preocupação. Atento aos impactos ambientais da atividade saúde, a instituição dispõe de procedimentos de monitoramento e criação de programas para racionalização do uso de recursos naturais, que contemplam gerenciamento de resíduos, eficiência energética, reaproveitamento e utilização adequada de recursos naturais, que vão de encontro ao tema desde ano #GeraçãoRestauração.

Um dos projetos que está em implantação neste ano é o Programa de Eficiência Energética da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e CPFL Energia, que tem como objetivo promover o uso eficiente da energia elétrica em todos os setores da economia, através de projetos que demonstrem a importância e a viabilidade econômica de melhoria da eficiência energética de equipamentos, processos e usos finais de energia.

O edital do programa, publicado pela ANEEL em 24/06/2020, contemplou o Hospital com ações de eficiência energética, voltadas para a iluminação e instalação de sistema fotovoltaico. Com o projeto foram substituídas 6.000 lâmpadas fluorescentes por lâmpadas de led, que consomem 20% menos energia e a instalação de 256 placas fotovoltaicas para geração de energia elétrica. Conforme o Engenheiro Eletricista, Gerente de Manutenção do HSVP, Cassiano Groth as placas já estão instaladas no Centro de Apoio II, onde funciona a Lavanderia do Hospital. Ele explica que o sistema de geração de energia elétrica solar fotovoltaica baseia-se na utilização de painéis solares que captam a luz e, “por meio do efeito fotovoltaico, geram energia elétrica, que é convertida pelo inversor solar, de corrente contínua para alternada, e, então, a eletricidade é injetada na rede elétrica para ser consumida pela própria unidade consumidora ou para gerar créditos de energia com a concessionária”.

A energia gerada dessa forma é considerada 100% limpa e Cassiano aponta que entre as vantagens estão a redução na conta de energia, utilização de uma fonte de energia alternativa renovável e gratuita, com uma durabilidade de mais de 25 anos, não propaga ruídos e poluição, é de fácil instalação e a manutenção é baixa. “A energia elétrica solar não emite nenhum tipo de gás poluente na atmosfera, tampouco gases que contribuem para o efeito estufa. Seu impacto ambiental é praticamente inexistente, uma vez que também não requer o desmatamento de áreas florestadas”, enaltece o Gerente de Manuntenção. 


Gestão de resíduos e reaproveitamento da água

 Além dos projetos de Energia Limpa, o gerenciamento de resíduos e a destinação correta do lixo hospitalar é um dos grandes focos da gestão ambiental do Hospital São Vicente de Paulo. Em 2020, o Hospital teve um imenso desafio, já que a pandemia da Covid-19 aumentou significativamente a geração de resíduos infectantes. Todos os esforços foram direcionados ao combate da Covid-19 e a área de gestão ambiental continuou atuando com o máximo de responsabilidade ecológica e social, destacando-se a continuidade e a divulgação de orientações e treinamentos para conhecimento do Plano de Gerenciamento de Resíduos e suas adaptações ao período pandêmico. 

Ainda, pensando na sustentabilidade e reciclagem, a Instituição participou de programas de coleta de materiais de difícil destinação, gerenciados pela empresa TerraCycle® Brasil, sendo o Programa Nacional de Reciclagem de Esponjas Scotch-Brite®, onde foram enviadas para a reciclagem 29.820 esponjas e o Programa Nacional de Reciclagem de Instrumentos de Escrita Faber-Castell®, onde foram coletadas 3.362 unidades de canetas, lápis, entre outros. 

Em relação ao reaproveito da água, não está relacionado a necessidade de abastecimento, mas sim da visão e consciência de sustentabilidade. O reaproveitamento de água proporciona enormes benefícios ambientais, ao subsidiar uma fonte adicional de água, como redução de esgoto lançado no meio ambiente, diminuição dos níveis de poluição, diminuição de energia e a economia proporcionada.

O processo de reaproveitamento de água nas instalações da Lavanderia é feito na estação para tratamento de água, para reuso em conformidade com legislações ambientais. Esta água é totalmente aproveitada pela própria Lavanderia, na execução de seus processos. Em 2020, foi reutilizado 45% de água. 

Gostou? Compartilhe