Agosto fecha com apenas 39,8% da média mensal de chuva

Transposição do rio Jacuí para a Barragem da Fazenda já é a maior da história

Por
· 1 min de leitura
 O nível da Barragem da Fazenda está 1,5 metro abaixo da capacidade máxima (Foto: Gerson Lopes/ON) O nível da Barragem da Fazenda está 1,5 metro abaixo da capacidade máxima (Foto: Gerson Lopes/ON)
O nível da Barragem da Fazenda está 1,5 metro abaixo da capacidade máxima (Foto: Gerson Lopes/ON)
Você prefere ouvir essa matéria?

Desde novembro de 2019, o estado vive uma estiagem prolongada com efeitos no abastecimento de água. A Barragem da Fazenda, responsável por 40% do abastecimento de Passo Fundo, está 1,5 metro abaixo da capacidade máxima. As chuvas recentes ajudaram, mas não resolvem o problema. Em agosto, o índice de chuva registrado foi de 74,7mm, o que representa apenas 39,8% da média mensal de 187,8mm.

“A chuva foi de baixa intensidade e não recuperou toda a quantidade que a gente tinha expectativa. Temos muito o que melhorar e recuperar até entrar no verão”, afirma o superintendente regional da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), Aldomir Antônio Santi. O déficit de agosto mantém a tendência de chuvas abaixo da média, registrada também em julho. “Isso preocupa porque a gente já vem de um déficit de chuva muito grande”, resume Santi. 

As chuvas abaixo da média confirmam a previsão do Boletim Especial Estiagem, divulgado pela Sala de Situação da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema). O relatório previu chuvas espaçadas e com volumes entre a média e abaixo da normalidade em todo o Estado no inverno, sendo insuficientes para a recarga hídrica. 

Para as próximas estações, o relatório segue pessimista. Os dados apontam para precipitações muito irregulares e abaixo da média ao longo da primavera, estação em que mais chove no estado. A previsão para o verão também aponta para chuvas muito aquém do esperado. “Salientamos a possibilidade da difícil recuperação das reservas hídricas em médio prazo, mantendo então o cenário hídrico desfavorável ao longo das próximas estações, chamando atenção para primavera e verão, épocas primordiais para a agricultura e geração de energia aqui no Estado”, diz o relatório de julho.

Expectativa 

“Setembro é o mês que mais chove, se não se confirmar isso, vamos ter sérios problemas na entrada do verão”, analisa Santi. No momento, o racionamento de água está descartado na região.

Transposição

Desde outubro do ano passado, está ligada a transposição do rio Jacuí para a Barragem da Fazenda. Essa já é a transposição mais longa registrada na regional. “É a primeira vez que acontece isso, uma estiagem dessa magnitude em período prolongado. A Corsan não teve nunca um período tão longo com a transposição ligada”, destaca Santi.

Gostou? Compartilhe