Aumento dos insumos pode desencadear reajuste da tarifa

Valor não é reajustado há quase dois anos. Neste período, além do aumento dos insumos empresas já concederam dois reajustes aos salários dos funcionários

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

As empresas de transporte coletivo de Passo Fundo ainda não oficializaram o desejo de reajustar o valor da passagem para a Secretaria de Transportes e Serviços Gerais. No entanto, diante do aumento dos combustíveis e a falta de reajuste nos últimos dois anos, a possibilidade para que isso ocorra é grande. Em Porto Alegre, as empresas do transporte urbano encaminharam pedido de 18% de reajuste, elevando a passagem para R$ 3,49.

Em Passo Fundo, uma decisão da desembargadora Laura Louzada Jaccottet da 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado, no final de março de 2014, impede que as empresas solicitem reajustes tarifários até que a ação civil pública, movida pelo Ministério Público, revisando as planilhas de custos das empresas, não seja julgada. A revisão apontou que a tarifa deveria ser fixada através de um decreto do prefeito, Luciano Azevedo, em R$2,30. Porém, a desembargadora deferiu liminar movida pelas empresas de transporte coletivo e voltou a estabelecer o valor da passagem em R$2,60. A ação aguarda julgamento do mérito.

Até que não ocorre o julgamento, as empresas devem procurar argumentos embasados nos reajustes dos insumos e dos salários dos funcionários como mecanismos para tentar reajustar o valor cobrado pela passagem aos usuários. Consultadas, as empresas afirmaram que ainda não haviam se reunido para debater o assunto, mas sinalizaram que devem tratar da questão nos próximos dias.

Gostou? Compartilhe