Arquidiocese conclui processo de avaliação

Também foram elencados principais desafios para seguir adiante

Por
· 2 min de leitura
Dom RodolfoDom Rodolfo
Dom Rodolfo
Você prefere ouvir essa matéria?

“É um caminhar constante”. É assim que dom Rodolfo Luís Weber, arcebispo de Passo Fundo, define o processo de Avaliação do 17º Plano Arquidiocesano da Ação Evangelizadora da Arquidiocese que foi encerrado neste ano, com a presença de leigos, religiosos e padres da Arquidiocese de Passo Fundo. “Para caminhar de forma consciente, é preciso retomar aquilo que realizamos desde a aprovação do Plano de Evangelização. É importante pensar e perceber que estamos em comunhão com a Igreja.”, complementou o arcebispo.

Retomada

A atividade, que aconteceu na Casa de Retiros, em Passo Fundo, iniciou com uma retomada do processo de aprovação e implementação do 17º Plano de Pastoral, conduzido por dom Rodolfo que, em uma breve fala, recordou ações importantes dos últimos quatro anos. “Além de agradecer as atividades que tivemos e de retomar as ações realizadas, louvamos a Deus pela ação evangelizadora desses quatro anos. Caem-se as palavras e os raciocínios lógicos, para que possamos rezar. Somos felizes por conhecermos Jesus Cristo e por podermos anuncia-lo. Somos agraciados e, ao mesmo tempo, colocados novamente em missão”, destacou dom Rodolfo.

 

Avaliação
Além da retomada de dom Rodolfo, o encontro envolveu, também, a conclusão da avaliação do Plano de Pastoral que, durante o ano, envolveu as áreas pastorais em um processo de partilha do que aconteceu desde a aprovação do documento. Para chegar a esta resultado, a avaliação, neste ano, aconteceu em três etapas: primeiro, cada paróquia avaliou, junto aos conselhos, sua ação e atividades realizadas; depois, a partilha foi realizada nas áreas pastorais e, por fim, a Coordenação Arquidiocesana de Pastoral, junto com uma equipe, realizou a síntese dos pontos elencados que, no sábado, foi apresentada pelo Coordenador Arquidiocesano de Pastoral, padre Ivanir Rampon, junto com o padre Daniel Feltes – integrante da equipe.

A proposta foi repensar, à luz do Evangelho, as cinco urgências propostas pelo Plano de Pastoral - Uma Igreja em Saída; Igreja: casa da iniciação à vida cristã; Discipulado Missionário centrado na Palavra de Deus; Revitalização das pequenas comunidades em vista da nova paróquia: Comunidade de Comunidades e Igreja profética e misericordiosa a serviço da vida – e, ainda, elencar os principais desafios, avanços e sugestões para a continuidade do trabalho realizado.

De uma forma geral, a Arquidiocese vivenciou de forma intensa o Plano de Pastoral – identificando as urgências e suas necessidades e colocando-as na vida pastoral das comunidades. As avaliações destacaram o documento como um instrumento de auxílio e orientação para a vivência do Evangelho. Também, foi colocado que o Plano motivou o contato com diferentes realidades e provocou para a ação e para a formação. A assembleia destacou, ainda, a necessidade de continuar a caminhada da Arquidiocese tendo o 17º Plano de Pastoral como base.

 

Orientações
Depois da apresentação da síntese, o padre Rene Zanandrea, professor na Itepa Faculdades e Coordenador de Pastoral da Diocese de Vacaria, realizou aprofundamentos teológicos pastorais a partir das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora – destacando os pontos positivos da vivência do Plano de Pastoral e pontos onde é necessário avançar. “Para se lançar a frente como se quer, é necessário voltar para trás porque, ao voltar, se encontra a força e impulso. Quando relemos a história e os relatos, percebemos que temos condições de ir em frente. Daqui se pega impulso para que nasça o 18º Plano da Arquidiocese”, destacou o padre.

Além da avaliação, o encontro também apresentou a lista de transferências e nomeações para o ano de 2020 e abordou, ainda, a Visita ad Limina Apostolorum – visita que os bispos do mundo todo realizam aos túmulos de Pedro e Paulo e que, para a Arquidiocese de Passo Fundo, acontece no próximo ano.

 

Gostou? Compartilhe