Arquivo Histórico Regional ganha novo espaço

Sede do arquivo funcionará no Campus I da Universidade de Passo Fundo

Por
· 3 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON
Você prefere ouvir essa matéria?

Um dos maiores acervos históricos da região Norte do Rio Grande do Sul, rico em memórias e história local e regional, ganhará um novo espaço. O Arquivo Histórico Regional da Universidade de Passo Fundo (AHR/UPF), com 37 anos de existência, funcionará no Campus I, da UPF. O acervo será alocado junto ao Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH), em uma sala no subsolo, com espaço mais adequado para conservação dos materiais e atendimento do público.

Ligado ao Programa de Pós-Graduação em História da UPF, o Arquivo é um centro regional de guarda, conservação e disponibilização à consulta ou pesquisa de documentos de seu acervo. Ele reúne cerca de 900 fotografias e filmes e mais de 50 mil edições de jornais impressos, revistas, almanaques, além de milhares de outros tipos de acervo, como arquivos públicos, sociais, judiciários, privados, biblioteca auxiliar e de prefeituras de Passo Fundo e Lagoa Vermelha.

 

Espaço adequado para conservação do acervo

Todo o acervo (documentos em papel, mapas, negativos fotográficos, livros, jornais, processos judiciais, etc.) tem especificidades para sua conservação e preservação, demandando atenção especial – como ventilação, iluminação controlada, baixa umidade e variação de temperatura dos ambientes em que são alocados.

Por conta dessa necessidade de um lugar mais adequado e de fácil acesso ao público consulente, a coordenadora do AHR, professora Gisele Zanotto, conta que a mudança de endereço é uma demanda antiga. “O novo espaço atende as necessidades básicas para alocação do setor em sua riqueza de acervos. Destaca-se a menor incidência de umidade, maior ventilação, claridade e potencialidade para atendimento da comunidade em geral e dos estudantes, especificamente. Em relação ao Campus III, antigo endereço, teremos ganhos expressivos na conservação documental”, observa.

O Arquivo subsidia inúmeras pesquisas, especialmente de estudantes de Passo Fundo e região, e é aberto a toda comunidade. “Tendo o Arquivo documentação concernente a várias áreas do conhecimento, e estando no Campus I, entendemos que o potencial dos acervos para produção de conhecimento seja crescente – tanto para atividades de disciplinas, quanto produções como monografias, dissertações e teses. O acesso a visitações de estudantes terá melhores condições de realização tanto pela questão de acesso, como pela segurança que o Campus I oferece, em relação ao centro da cidade”, destacou Gizele.

 

 

Histórico de mudanças

Não é a primeira vez que o Arquivo Histórico Regional muda de endereço. Quando criado em 1984, o então Arquivo e Museu Histórico Regional, funcionava em uma sala do antigo prédio do IFCH, atual B3. Nos anos de 1990, ocorreu a separação desses setores – Arquivo e Museu – e, em 1996, o AHR foi alocado no Campus III da UPF, quando recebeu uma quantidade expressiva de novos documentos não possíveis de alocar na antiga sala. “Em 2021, o novo endereço será novamente o Campus I, onde, esperamos, novas perspectivas se abram no sentido de garantir a segurança do patrimônio cultural que temos sob nossa guarda”, salientou a coordenadora do Arquivo.

 

Uma riqueza de acervo imensurável

Leis do Império, acervo Nicolau Araújo Vergueiro e cópia do documentário do centenário de Passo Fundo são alguns dos instigantes e raros documentos que compõem o acervo do Arquivo Histórico Regional. O acervo é variado, abrangendo documentos do século XIX ao XXI, e está dividido em dois tipos: comunicação social (jornais e revistas da cidade, região, estado e país); documentos públicos das esferas federal, estadual e municipais; documentos sociais de entidades; acervo fotográfico, de microfilmes e audiovisual; documentação do judiciário; biblioteca auxiliar; e documentação da Secretaria de Terras de Passo Fundo, com mapas e registros de compra e venda de lotes na região. “É um rico manancial de estudo e pesquisa”, destaca Gizele.

Para a coordenadora do espaço, o Arquivo é o repositório de memórias e fontes para compreensão da história local, regional e mesmo nacional. A documentação que está sob guarda do AHR é um patrimônio cultural rico, qualificado, que dá conta de processos políticos, sociais, culturais, econômicos e de outros setores de atividade de uma região que teve seu desenvolvimento vetorizado sobretudo na segunda metade do século XIX. “Sua riqueza é ímpar, pela documentação rara e única que abrigamos. É um patrimônio coletivo que, felizmente, fica disponível ao público pela ação de uma universidade comunitária, que tem como uma de suas premissas de responsabilidade social a valorização da memória, cultura e patrimônio de sua região de abrangência”, afirma a coordenadora do AHR.

 

AHR será reaberto em breve

O processo de mudança é complexo e, por isso, neste momento, o AHR está fechado. O encaixotamento, armazenamento e transporte do acervo requer cuidados especiais para evitar danos aos documentos. Além disso, é necessário realizar a organização do acervo no novo espaço, bem como a sua conferência e higienização, antes de abrir ao público. Em breve, a Universidade comunicará a inauguração oficial do novo espaço. Por enquanto, o público pode acessar os catálogos no site. Para conhecer mais sobre o Arquivo Histórico Regional, suas ações e projetos, acesse www.upf.br/ahr.

Gostou? Compartilhe