Mulheres ampliam em quase 50% o nível de ocupação em dez anos

O Censo 2010 mostrou que, em dez anos, melhorou o rendimento das mulheres e o nível de instrução delas continuou mais elevado que o dos homens

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

As mulheres passo-fundenses estão trabalhando mais. Esta é a conclusão do último levantamento do Censo 2010, que traz informações sobre a educação, deslocamento, trabalho, rendimento. Os dados, que foram divulgados na semana passada (19/12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que o nível de ocupação das mulheres no mercado de trabalho apresentou um salto considerável na última década. Em 2000, 42,5% das mulheres tinham uma ocupação, mas índice aumentou para 46,6% em 2010, um crescimento de 9,5%. Por outro lado, os homens perderam espaço no mercado de trabalho em Passo Fundo, reduzindo sua participação em 7,4% em dez anos. Segundo o IBGE em 2000, os homens ocupavam 57,42% das vagas de trabalho, enquanto que em 2010 o índice caiu para 53,36%.

As estatísticas de 2010 mostraram que as mulheres ocupadas no município somaram 44.512, contra 50.933 homens empregados. Somados, os dois perfis somaram 95.445 pessoas ocupadas. Mesmo um pouco abaixo dos homens nas ocupações, as mulheres apresentaram um crescimento surpreendente em dez anos, comparando ao Censo realizado em 2000: o índice saltou de 49,2% entre os anos de 2000 e 2010. A participação dos homens mais tímida, mas cresceu de 26,6%. No total, a taxa de participação no mercado cresceu 36,2%, totalizando mais de 25,4 mil novos postos de trabalho em Passo Fundo.

Por setor, de acordo com o levantamento do IBGE, as mulheres ocuparam 4.219 postos de trabalho na indústria da transformação em 2010, contra 7.361 homens empregados. Na construção civil, foram 250 ocupações femininas, abaixo das 7.232 masculinas. No segmento de transportes, trabalhavam 4.052 homens, contra 521 mulheres. Já no comércio, a disputa foi acirrada, mas as os homens. A maior diferença para as mulheres se concentrou no setor de serviços doméstico, onde existiam 5.729 vagas femininas contra 167 masculinas. Nos setores de saúde e educação também houve o predomínio de vagas para mulheres.

Taxa de ocupação no mercado de trabalho em Passo Fundo

 

Pessoas ocupadas/2000

Taxa de ocupação/2000

Pessoas ocupadas/2010

Taxa de ocupação/2010

Homens

40.215

57,42%

50.933

53,36%

Mulheres

29.817

42,58%

44.512

46,64%

Total

70.032

100%

95.445

100%

Fonte: Censo 2010/IBGE 

Escolarização das mulheres supera a dos homens
O nível de instrução das mulheres de Passo Fundo está mais elevado que o dos homens, sendo o Censo 2010. Na população masculina de 25 anos ou mais de idade, o percentual de homens sem instrução ou com o fundamental incompleto foi de 16,7%; com o ensino fundamental completo e médio incompleto, 7,7%; com médio completo e superior incompleto, 15,7% e o daqueles com pelo o ensino superior  completo, 7%. Na população feminina, esses indicadores foram 19,7%, 8,64%, 16,9% e 9,9%, respectivamente.

Rendimento médio mensal das mulheres aumenta 122%

A diferença salarial entre os homens e mulheres passo-fundenses reduziu entre 2000 e 2010. Os salários pagos em Passo Fundo tiveram, em dez anos, segundo o IBGE, uma alta de 92,6%, passando de R$ 818,00 em 2000 para R$ 1.575,80 em 2010. Mas, a variação chegou a 122,1% na renda das mulheres, aumentando de R$ 573,39 para R$ 1.273,76 no último levantamento. Entre os homens, o aumento foi de 87,58%.

Rendimento*

2000

2010

Variação

Homens

R$ 1.000,78

R$ 1.877,30

87,5%

Mulheres

R$ 573,39

R$ 1.273,76

122,14%

Total

R$ 818,00

R$ 1.575,80

92,6%

*Rendimento nominal médio mensal das pessoas de 10 anos ou mais de idade, economicamente ativas na semana de referência, com rendimento.

Gostou? Compartilhe