Perfis dos candidatos Arthur Bispo e Marli Schaule

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

ARTHUR BISPO


Arthur Bispo de Oliveira tem 33 anos e é natural de Passo Fundo. Da segunda geração de uma família de migrantes do interior da Bahia, foi comerciário na antiga Revisteira e Livraria Ramires e agente de pesquisas do IBGE. É cobrador de ônibus da Codepas há 5 anos. Iniciou sua militância no movimento estudantil da Universidade de Passo Fundo onde cursa a Faculdade de Filosofia, em várias gestões do Diretório Acadêmico América Latina Livre e no Coletivo Nada Será Como Antes. Ingressou no PSTU no final de 2012, após conhecer a atuação do partido junto aos trabalhadores ligados aos CPERS/Sindicato.

Ganhou projeção na cidade pela intervenção nas chamadas Jornadas de Junho de 2013 que levaram multidões de jovens às ruas em todo país pela redução das passagens e pelo Passe Livre. Esteve desde o princípio junto com dezenas de jovens LGBTs na construção Plural Coletivo LGBT, que até hoje é uma referência em como combater a opressão combinada com a luta de classes. Nos últimos anos, construiu ativamente diversos processos de luta na cidade a partir da CSP-Conlutas, em especial, nas greves gerais contra a reforma da previdência e trabalhista em 2017, no combate à ascensão do bolsonarismo, contra o genocídio da juventude negra e nas lutas do transporte coletivo.

Em 2019 esteve lado a lado com os trabalhadores da Codepas no enfrentamento ao fechamento do setor de transporte coletivo previsto no recente edital de licitação, suspenso judicialmente, mas que precisa ser combatido permanentemente.


MARLI SCHAULE


Marli Schaule tem 63 anos, professora aposentada, casada e natural de Três Passos/RS. Iniciou a carreira em 1974 como professora de educação infantil, com graduação em Geografia e pós-graduação em Metodologia do Ensino de Geografia pela Unijuí.

Atuante nas lutas da educação a partir de 1979, na primeira greve do magistério público estadual. Em 1987, mudou-se para Passo Fundo, onde seguiu sua trajetória profissional na educação infantil, fundamental e no ensino médio. Em 1992, foi nomeada como professora municipal, tendo atuado como professora na Escola Municipal Antonino Xavier. Foi vice-diretora da EEEM Adelino Pereira Simões, membro da diretoria do 7º Núcleo do CPERS/Sindicato, membro da diretoria colegiada do Centro Municipal de Professores (CMP), além de diretora da EMEF Antonino Xavier, com uma atuação marcada pela participação da comunidade. Também foi representante dos aposentados no Conselho Geral do CPERS/Sindicato em Porto Alegre, coordenadora regional do Movimento Mulheres em Luta e da executiva regional da CSP-Conlutas. No ano de 2016, concorreu pelo PSTU como candidata à vice-prefeita de Passo Fundo e em 2018 ao Senado, onde obteve mais de 26 mil votos.

Sua história foi construída em defesa da educação pública, universal, de qualidade e laica, bem como na luta contra as opressões e a exploração que a sociedade capitalista impõe para dividir a classe. Como candidata a vice-prefeita, pelo PSTU, propõe-se a denunciar este sistema e esta instituição corrompida e seguir sua luta para que os de baixo se organizem para derrubar os de cima e, para tanto, faz um chamado à rebelião, que liberte o país da dominação imperialista, da grande propriedade capitalista, da opressão e da exploração.



* Textos encaminhados pelas assessorias dos candidatos

Gostou? Compartilhe