Bombeiros atribuem redução do número de salvamentos a ações preventivas

No Litoral Norte, foram registrados 171 salvamentos; no Litoral Sul, foram 14; e em Águas Internas, 51 ocorrências

Por
· 3 min de leitura
Os primeiros 30 dias da Operação Verão registraram uma redução de 63,9% no número de salvamentos, em relação à média histórica da última décadaOs primeiros 30 dias da Operação Verão registraram uma redução de 63,9% no número de salvamentos, em relação à média histórica da última década
Os primeiros 30 dias da Operação Verão registraram uma redução de 63,9% no número de salvamentos, em relação à média histórica da última década
Você prefere ouvir essa matéria?

Os primeiros 30 dias da 1º Operação Verão do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (CBMRS) registraram uma redução de 63,9% no número de salvamentos, em relação à média histórica dos últimos 10 anos. Somando as ações de salvamento no Litoral Norte, no Litoral Sul e em Águas Internas, foram contabilizadas 236 ocorrências, desde o dia 16 dezembro, quando a Operação teve início.

No Litoral Norte, foram registrados 171 salvamentos; no Litoral Sul, foram 14; e em Águas Internas, 51 ocorrências. De acordo com o comando do CBMRS, o baixo número de salvamentos deve-se às diversas ações preventivas realizadas nas praias, rios e lagoas. “O guarda-vida desce da guarita e faz um processo de interação com a comunidade, informando, orientando e trocando ideias. Passa informações necessárias aos banhistas, tanto sobre o mar, os ventos e as periculosidades que os locais de banho podem oferecer”, destacou o comandante-geral do CBMRS, coronel Cleber Pereira.

De acordo com o subcomandante-geral do CBMRS, coronel Evaldo Rodrigues de Oliveira, o Corpo de Bombeiros está com uma nova metodologia - intensificar a interação com os banhistas. “Isso está trazendo resultados positivos, como a redução de quase 64% no número de salvamentos. E o mais importante é que não tivemos óbito nesse veraneio até o momento”, declarou.

Com as novas estatísticas de salvamento do CBMRS, agora é possível traçar o perfil do 'salvado'. Segundo dados, o maior índice de salvamentos ocorre entre o público jovem, com idade entre 16 e 20 anos, que se banham geralmente no horário entre 14h30 e 19h, na praia de Torres, especificamente na guarita 10 (Praia da Cal). “O mapeando contribui para um trabalho mais qualificado para a próxima Operação Verão”, afirmou o comandante-geral.

Ações preventivas

 

Além das conversas e orientações dos guarda-vidas com os banhistas, o aprimoramento da sinalização está entre as ações preventivas do Corpo de Bombeiros. São seis bandeiras de sinalização, cada uma com uma cor que indica as condições de banho no local. A bandeira verde é sinal de 'mar bom'. A amarela corresponde a 'cuidados no mar'. 'Mar perigoso' é indicada pela bandeira de cor vermelha. A azul refere-se a uma 'pessoa encontrada' nas guaritas. A bandeira roxa sinaliza a presença de 'animais marinhos' na água. E a bandeira preta indica 'risco de morte'.

Uma das novidades dessa edição da Operação Verão do CBMRS são os flyers banners, adquiridos pela corporação, para delimitar a área de banho e orientar os banhistas para o local com menor risco. “É também uma questão fisiológica de tempo-resposta dos guarda-vidas ao sair da guarita. Eles têm um tempo de resposta muito mais rápido para corrida e entrada no mar”, garantiu o comandante-geral.

A utilização de novos equipamentos também é uma alternativa dos guarda-vidas para as ações de salvamento e prevenção. O CBMRS está adquirindo 10 quadriciclos que serão destinados ao serviço no Litoral Norte e Sul. Os equipamentos devem chegar ao RS nos próximos dias.

“Implementaremos o quadriciclo nas áreas onde não temos muita população, mas temos uma extensão territorial grande. Essa é uma inovação da Operação e, para o futuro, a ideia é utilizar drones para realizar o salvamento. Durante este ano, será feito um estudo mais detalhado, inclusive com parte prática, para que a gente consiga implementar no verão que vem”, assegurou o coronel Cleber Pereira.

Orientação começa já com as crianças

O projeto Guarda-Vidas Mirim é uma iniciativa do CBMRS voltada à orientação e à instrução de crianças, de seis a 12 anos, sobre os perigos e cuidados que se deve ter no mar, rios, lagoas e piscinas. A ação, totalmente gratuita, engloba conversas, informações sobre o mar, as bandeiras, profundidade da água, limpeza da praia e simulação de resgate. Já são 15 edições do projeto e mais de mil crianças atendidas.

Outra ação do Corpo de Bombeiros é a distribuição de pulseiras de identificação para crianças na beira-mar e nos balneários de águas internas. A iniciativa pretende reduzir as ocorrências de crianças perdidas. O material é gratuito e está sendo distribuído pelos guarda-vidas, ou pode ser retirado nas guaritas.

Projeto balneabilidade orienta os veranistas

Um site e um aplicativo sobre a qualidade das águas, condições de segurança para banho e previsão do tempo foi lançado nesta Operação Verão pela Fundação de Proteção Ambiental (Fepam), em parceria com o CBMRS e a Procergs. O Projeto Balneabilidade tem a finalidade de modernizar a comunicação com os veranistas.

A Fepam é a responsável por divulgar se as águas estão próprias ou impróprias para banho. O CBMRS oferece o serviço indicativo das condições de segurança para banho, nas praias, rios e lagoas do Rio Grande do Sul.

"O aplicativo da balneabilidade foi criado com o objetivo de facilitar a vida dos veranistas. Agora, é possível ter acesso a informações sobre a qualidade da água, as condições de segurança para banho e previsão do tempo na palma da mão", destacou a secretária do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Ana Pellini.

O serviço funciona nos sistemas Android e iOS. Para ter o aplicativo no celular, basta acessar o site balneabilidade.rs.gov.br e criar o atalho.

 

 

Gostou? Compartilhe