Ex-prefeito apresenta projeto de novo terminal portuário

Estrutura é projetada pela iniciativa privada e será um importante ponto de importação e exportação para diversas regiões do estado e país

Por
· 1 min de leitura
O engenheiro Fernando Carrion fez um panorama geral ilustrando o projeto

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O engenheiro civil Fernando Machado Carrion apresentou aos empresários o projeto para construção de um Terminal Portuário Marítimo Privado em Torres, no litoral Norte do RS. A explanação foi feita durante reunião-almoço da Associação Comercial, Industrial, de Serviços e Agronegócio (Acisa) de Passo Fundo, ontem.

 

Durante a atividade, Fernando Carrion, que é ex-prefeito de Passo Fundo, ex-deputado federal e um dos idealizadores da iniciativa, fez um panorama geral ilustrando o projeto que prevê, segundo ele, a movimentação de contêineres, exportação de granéis sólidos agrícolas, gás natural, além de navio regaseificador e atracação de navios de cruzeiro. De acordo com o engenheiro, a estrutura, que será construída pela iniciativa privada, será um importante ponto de importação e exportação para diversas regiões do estado e país e movimentará cargas de frango, maçã, grãos, produtos da área metal mecânica, entre outros.

 

No total, a faixa litorânea do Estado tem 620 km e Torres foi escolhida por apresentar uma área ideal, com mar profundo e adequado para a construção do terminal com baixo investimento. “Não podemos ficar com apenas um porto marítimo, em Rio Grande. Santa Catarina, por exemplo, tem 420 km de litoral e cinco portos. O porto de Torres facilitaria para nossos produtores, já que é mais perto e diminuiria o custo dos fretes”, explica.

 

Segundo ele, o projeto não deve atrapalhar o turismo ou o meio ambiente. "Nosso projeto é baseado em cinco premissas: desenvolvimento econômico, bem-estar social, já que não queremos brigar com a sociedade, bem como os veranistas, preservação do meio ambiente, local adequado com menor custo de construção e ação de empresa privada com a sociedade e o poder público", afirma o engenheiro.

 

Próximos passos
Ainda conforme Fernando Carrion, uma das empresas mais especializadas nesse tipo de estrutura, e que tem em seu portfólio 15 portos em diversos locais do mundo, está elaborando o anteprojeto do terminal de Torres. “Este projeto vai ser colocado na minha mão no início de maio e com ele bateremos o martelo para que possamos concluir o processo. Ao mesmo tempo, ele será aprovado na Secretaria Nacional de Portos, em Brasília, obtemos uma autorização e aí a obra começa”, garante.

Gostou? Compartilhe