OPINIÃO

Conjuntura Internacional

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A cada semana que passa, o coronavírus cria mais desafios aos líderes internacionais e, consequentemente, à geopolítica mundial. Um marcador importante lá no início da pandemia foi o pronto fechamento de aeroportos para a chegada dos voos internacionais. Os países que mais tardaram a tomar a iniciativa de fechamento tiveram uma escalada maior nas infecções. Como já apontamos nesta coluna, a geopolítica da vacina se dividiu em quatro projetos distintos: o americano, o chinês, o inglês e o russo. Enquanto os projetos se desdobram, o vírus vai passando por mutações e novas variantes são descobertas, desafiando ainda mais a ciência e as lideranças internacionais. Com o comunicado de uma nova cepa (altamente infecciosa), o Reino Unido sentiu os desdobramentos geopolíticos que o vírus impõe, sendo praticamente isolado, no passo em que os países europeus e do mundo fecharam as suas fronteiras para conter a circulação dos britânicos.

 

Efeitos de uma nova cepa 

A poucos dias de um desfecho do Brexit, principais linhas de comércio do Reino Unido com a Europa foram praticamente paralisadas, justamente nas semanas em que se comemora o Natal, que possuem alta demanda por comércio e serviços. A França está suspendendo cargas do Reino Unido, medida que pode ser tomada pelos demais países europeus. Longas filas de caminhões e supermercados desabastecidos trazem um enorme desafio. Segundo pesquisadores britânicos, a nova variante pode ser 70% mais transmissível. Enquanto o Reino Unido e a França não selam um acordo para retomar o comércio, os prejuízos econômicos se alastram, como efeito imediato da nova cepa do vírus.

 

As dificuldades 

O exemplo do Reino Unido pode ser, no futuro breve, sentido por qualquer outro país, inclusive os países em desenvolvimento. Se o efeito parece ser alarmante para uma economia rica como o Reino Unido, outros países teriam um enorme desafio nesse cenário. Para destravar as transações internacionais, o Reino Unido teve de implantar medidas emergenciais, como a pronta realização de exames em massa dos caminhoneiros, para liberar o fluxo comercial entre os países. Os cientistas britânicos ainda não afirmam com certeza se as vacinas serão capazes de criar proteção contra a recente variante descoberta.

 

B.1.1.7 

Assim ficou registrada a nova cepa do coronavírus, descoberta pelos britânicos ainda em setembro. Segundo os estudiosos, a nova linhagem seria 70% mais transmissível que as atuais. Em novembro, ela foi responsável por cerca de 26% dos casos de Covid, em Londres. O avanço foi considerável uma vez que, em dezembro a nova linhagem representou 60% dos quadros infecciosos na capital londrina. Isso obrigou a Inglaterra a tomar medidas ainda mais drásticas como o reforço do lockdown.

 

Reações 

Países no mundo inteiro passaram a restringir os voos advindos do Reino Unido. Até o fechamento desta coluna, na América Latina, Argentina, Chile e Colômbia já haviam bloqueado a chegada dos voos internacionais, enquanto isso, o Brasil não havia anunciado qualquer tipo de controle.


Gostou? Compartilhe