OPINIÃO

O despachante imobiliário e a resolução da burocracia na hora de comprar ou vender um imóvel

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Não por menos a invenção do papel e depois da prensa foram revolucionárias para a humanidade. Esses instrumentos possibilitaram o registro e a documentação de fatos históricos que, até então, eram mantidos apenas pela palavra e pela memória humana. É por meio desses registros históricos que garantimos que algo aconteceu de verdade como, por exemplo, um acordo comercial. Em sociedades complexas como a nossa, torna-se praticamente impossível manter um acordo apenas pela palavra, na medida em que o volume desses acordos são muito maiores.

Esse aumento no número de registros é o que chamamos hoje de burocracia. Não é muito difícil constatar que há na sociedade um sentimento de aversão a processos burocráticos e à manipulação de documentos. Isso não é exclusividade do mercado imobiliário, estão em todos os segmentos, que por algum motivo precisam entregar garantias e tornar públicas suas transações. Por ser um mal necessário, acredito que a burocracia deva ser resolvida com inteligência.

É preciso ter em mente que movimentar documentação, em qualquer tipo de negociação, gera um certo custo. Taxas de registro, escrituração, averbação e impostos como ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis) são de praxe no mercado imobiliário e devem ser previstos. Procurar um profissional que te ajude nesse processo na maioria das vezes é mais econômico, afinal de contas o custo de refazer a documentação pode se tornar bem mais oneroso.

Nesse caso, o conselho é buscar um despachante imobiliário, ou uma imobiliária que conte com esse tipo de serviço. Considero que o despachante é uma ponte importante entre o vendedor, comprador e os órgãos públicos e privados. A função do despachante não deve ser reduzida à manipulação de documentação ou ao transporte desses documentos de um lado para outro, pois trata-se de um profissional treinado para analisar de maneira criteriosa toda a documentação do imóvel, identificando possíveis irregularidades e a partir disso, prestar uma consultoria especializada. Esse profissional irá garantir que sua negociação seja justa e sem complicações, garantindo a procedência, assim como a qualidade dessa documentação.

O leque de serviços executados por um despachante irá depender do tipo de negociação que você esteja fazendo. Ele pode, por exemplo, fazer o encaminhamento da escritura, evitando que você tenha que se deslocar entre cartórios e tabelionatos; Elaboração de minutas, a avaliação técnico jurídica garante a procedência e qualidade do contrato; Pareceres e avaliações, garantindo que a negociação seja justa e a Regularização do imóvel, tornando-o um bem de valor agregado. Essas são apenas algumas das atribuições que podem se dividir em muitas outras. A vantagem de contar com esse tipo de profissional é que você estará centralizando uma quantidade enorme de processos em apenas um lugar, tornando tudo muito mais ágil. Ao invés de gastar energia processando esses dados e se deslocando de um lugar para outro, todo seu foco se volta para a negociação e para a escolha do imóvel que vai, de fato, satisfazer suas necessidades.

A documentação não é nossa inimiga, muito pelo contrário devemos encarar todo esse processo como um processo de valorização da propriedade. Imóveis com a documentação em dia costumam ser negociados em tempo menor, não só pela velocidade com que se encaminha os trâmites burocráticos, mas pela confiança que passa ao mercado, tornando seu imóvel diferenciado. Está mais do que na hora de mudarmos a chave e começarmos a tratar a documentação do imóvel como parte importante de todo o investimento.

Gostou? Compartilhe