Susepe forma 120 novos servidores penitenciários

No total, são 115 agentes penitenciários e cinco agentes penitenciários administrativos

Por
· 1 min de leitura
 Crédito:  Crédito:
Crédito:
Você prefere ouvir essa matéria?

A Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), por meio da Escola do Serviço Penitenciário, realizou, nesta quarta-feira 17, a formatura do 32º curso de formação profissional de agente penitenciário, 5ª edição e IV curso de formação de agente penitenciário administrativo, 6ª edição. O evento foi realizado no Auditório Teatro- Foro Central, em Porto Alegre. No total, são 115 agentes penitenciários e cinco agentes penitenciários administrativos. 

 

O vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Junior, deu boas-vindas aos presentes, mensurando o programa de Governo RS Seguro que é divido em quatro eixos: combate à criminalidade, prevenção, atendimento ao cidadão e sistema prisional.


“Nossa primeira atitude de governo foi criar a Secretaria de Administração Penitenciária (Seapen), pois havia necessidade de transformar e qualificar sistema prisional gaúcho”, disse. O secretário Ranolfo acrescentou também que é necessário dar atenção devida ao tratamento penal ao preso, além de segurança à sociedade.


Já, o secretário da Secretaria da Administração Penitenciária (Seapen), Cesar Faccioli, frisou que os novos servidores assumirão compromissos importantes para com a Susepe e, especialmente, com a sociedade gaúcha , dentre os quais, serão operadores fundamentais do cumprimento da Lei das Execuções Penais (LEP) e concretizadores das sanções penais. “Não é possível humanizar sem qualificar”, concluiu.


Por sua vez, o superintendente da Susepe, Mario Santa Maria Junior, pediu aos formandos que tenham comprometimento com suas carreiras. Sobre isto, disse que é necessário que pilares que regem a administração pública sejam observados e atendidos pelos novos servidores. “Venham para esta nobre função de servidor penitenciário para contribuir e fazer com que a Susepe cresça ainda mais”, reiterou.


O curso de formação teve 535 horas de aulas teóricas, divididas em dois turnos, além de estágio supervisionado. As disciplinas ministradas foram agrupadas em três eixos básicos: fundamentos da pena e da prisão, rotinas e procedimentos do sistema prisional e gestão penitenciária. Os novos servidores já estão trabalhando nos estabelecimentos prisionais, distribuídos nas dez regiões penitenciárias do Estado.

Gostou? Compartilhe