Sistema prisional do RS vai produzir quatro mil novas máscaras de proteção por dia

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A Secretaria da Administração Penitenciária (Seapen) e a Susepe deram início à produção de máscaras de proteção em fábricas adaptadas nas casas prisionais de todas as dez delegacias penitenciárias do Estado, para conter a disseminação do novo coronavírus.
A produção diária será de quatro mil peças, com 87 máquinas em operação. A Seapen e a Susepe seguem a resolução 356, de 23 de março, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que dispõe, de forma extraordinária e temporária, sobre os requisitos para a fabricação das peças, que são confeccionadas em tecidos TNT duplo. A chefe do trabalho prisional, do Departamento de Tratamento Penal da Susepe, Elisandra Minozzo, afirmou que a utilização da mão de obra prisional auxiliará na contenção do Covid-19. “Este projeto, além de oportunizar a profissionalização dos apenados, representa economia para o Estado e ainda promoverá a proteção da sociedade”. Cerca de 200 presos de várias regiões do Estado, de penitenciárias masculinas e femininas, vão confeccionar os materiais descartáveis para uso em procedimentos simples não cirúrgicos. A estimativa é de que produzam 87 mil peças até o fim de abril.

Gostou? Compartilhe