Residencial onde adolescente foi vacinado contra Covid-19 emite nota

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Depois da abertura de uma investigação por parte da Polícia Civil, que busca apurar a possível vacinação de pessoas fora do grupo prioritário em Passo Fundo, uma instituição de longa permanência para idosos emitiu uma nota de esclarecimento. A suspeita dos policiais é que no local um adolescente que não faz parte do grupo prioritário, teria sido vacinado. Ação que implicaria em responsabilizações jurídicas. 


NOTA DE ESCLARECIMENTO PÚBLICO


O Residencial vem a público esclarecer os fatos veiculados pela imprensa na data de 27.01.2021, relacionados a aplicação da vacina contra Covid-19 ocorrida na data de 26.01.2021. Foram vacinados naquele momento todos os residentes, funcionários e colaboradores incluindo os proprietários por trabalharem diretamente com os idosos, cumpre destacar que o menor é residente. Portanto, se inclui no grupo de risco apresentado pelo plano de estratégia de vacinação do estado do Rio Grande Do Sul.

Não houve em nenhum momento fraude ao plano de vacinação, pois nas listas apresentadas pelo residencial constam o nome do menor em questão, fato esse de conhecimento da Prefeitura De Passo Fundo, da mesma forma que não houve nenhuma simulação por parte do menor, o mesmo no momento da vacinação encontrava-se vestido com as roupas utilizados por todos os colaboradores, em contra partida ao que a imprensa divulgou, o menor não recebeu a vacina que pertencia ao idoso que faleceu em 21.01.2021.

Quanto a constar o nome do idoso já falecido, cumpre informar que quando do envio da lista a Secretaria de saúde do Município de Passo Fundo, na data de 15.01.2021, o idoso fazia parte do quadro de residentes, vindo a falecer na data de 21.01.2021, portanto, após o envio da referida lista e ainda foi confirmado pela equipe de saúde a sobra de “3” (três) doses destinadas ao residencial.

Destarte, ocorreu no caso em tela um erro grafo, porém, sem intenção de utilizar dose que não lhe era destinada, posto que o menor está na lista enviada a Secretaria de Saúde, reside no lar e faz parte de grupo prioritário da vacinação, fatos que serão apurados e comprovados pelo inquérito já instaurado.

Por fim, o residencial está à disposição para quaisquer esclarecimentos que se fizerem necessárias.

Gostou? Compartilhe