Basegio reivindica investimentos para rodovias da região

Deputado encaminhou um ofício para o Governo do Estado

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

O deputado e líder do PDT, Diógenes Basegio encaminhou ao Governo do Estado ofício justificando a inclusão no orçamento de 2013 de recursos para investimentos na rodovias da região Norte. “Estamos na rota do Mercosul, nossas rodovias são passagem obrigatória para o transporte de carga e para a ligação com o centro do país. É necessário que o governo priorize investimentos para as nossas estradas”, defendeu Basegio.

No documento, o parlamentar defendeu o empenho de verba para: melhorias na ponte sobre o Arroio Miranda na RS 135; manutenção da sinalização e asfalto da RS 135 no trechos entre Passo Fundo e Erechim; trevo de acesso a BR-285; agilidade na liberação dos para a duplicação, ampliação e melhoria da ERS 324 no trecho entre Passo Fundo e Marau; melhorias para a estrutura da Praça de Pedágio da RS 135; manutenção da ERS 324 entre Casca e Guaporé; ampliação e aperfeiçoamento da sede do Comando Rodoviário da Brigada Militar de Passo Fundo; restauração e manutenção de malha rodoviária da ERS 324 nos acessos a Nova Prata, Nova Araçá, Nova Bassano e Ibarama.

O deputado trabalhista também demandou ao Executivo recursos para a pavimentação do acesso da ERS 475/Charrua - Getúlio Vargas, da ERS129/ Casca- São Domingos do Sul-Vanini-David Canabarro, da ERS 441/Vista Alegre do Prata – Guaporé e da ERS 324/Iraí-Planalto.

Para a região de Palmeira das Missões, Basegio incluiu nas demandas, dotação orçamentária para reparos na ponte sobre o Rio da Várzea e da ERS 569, e para a ERS 330 na ligação entre São Bento e Tesouras. No documento Não-Me-Toque está contemplada com o pedido de asfaltamento para ERS 332 até Lagoa dos Três Cantos.

“Ao protocolar este ofício, listamos as obras necessárias e estamos reforçando ao Governo a importância e urgência de reparo e novas construções nestas rodovias. Formalizamos os pedidos para que em 2013 haja disponibilidade de recursos financeiros para essas demandas”, frisou Basegio.

 

Gostou? Compartilhe