Passo Fundo conta com Centro de Pesquisas de Novos Tratamentos

Atualmente estão em andamento vários estudos. Confira na matéria

Por
· 5 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

No Brasil, as estimativas para o ano de 2012 apontam a ocorrência de aproximadamente 520 mil novos casos de câncer. Com o objetivo de ampliar o conhecimento da população sobre o tratamento e a prevenção da doença, o dia 27 de novembro foi instituído como o dia Nacional de Combate ao Câncer. A melhor forma de combater o câncer ainda é a prevenção. O sucesso da prevenção do câncer se baseia na mudança de hábitos pessoais e no diagnóstico precoce. A mudança dos hábitos pessoais procura eliminar fatores causais do câncer, tais como fumo, consumo de álcool, exposição a radiação solar e produtos químicos, entre outros.

O diagnóstico do câncer em fase precoce aumenta a chance de cura, já que a cura de qualquer tipo de câncer é maior quanto mais inicial é a fase em que são descobertos e tratados. Nos últimos anos muitos avanços foram realizados para que vários tipos de câncer fossem diagnosticados precocemente, mas apesar deste progresso existem os limites da medicina, limites dos exames realizados e a própria evolução do organismo humano como fatores que limitam o diagnóstico precoce.

Antigamente, receber o diagnóstico de câncer era praticamente receber uma “sentença de morte”, atualmente com os inúmeros avanços no tratamento a história mudou. Os mais diversos tipos de câncer são passíveis de tratamento e o mais importante, muitos deles são curáveis. A medicina oncológica está constantemente procurando desenvolver tratamentos inovadores para o câncer e estes novos tratamentos são descobertos através da pesquisa clínica, a qual é realizada através de estudos científicos que possuem a finalidade de verificar como uma nova medicação ou um novo procedimento funciona em seres humanos.

Pesquisas

A pesquisa clínica abre as portas para o que existe de melhor em termos de tratamento do câncer. Como somente nos últimos 10 a 20 anos é que se conseguiu entender melhor o câncer, o desenvolvimento de novas drogas vem se acelerando, e levando muitas doenças previamente fatais em meses a ter um prognóstico infinitamente melhor. Os estudos clínicos oferecem tratamentos que visam a cura da doença, tratamentos para câncer avançado e tratamentos de apoio para o controle e prevenção de sintomas. Estes novos tratamentos possuem o objetivo de serem mais eficientes que as medicações já existentes no mercado e causarem menos efeitos colaterais, melhorando a expectativa e a qualidade de vida dos pacientes com câncer.

Atualmente o Centro Integrado de Terapia Onco-hemotológica (Cito) está desenvolvendo pesquisas através do Centro de Pesquisas de Novos Tratamentos. Para que o paciente possa vir a participar de uma pesquisa, há critérios muito específicos e rigorosos que serão avaliados pelos médicos responsáveis do estudo. Se o paciente atender todos os critérios solicitados ele será considerado elegível para participar do estudo e então será determinada qual medicação o paciente irá utilizar. Normalmente, os pacientes são divididos em dois grupos, um grupo receberá a droga padrão no mundo (que muitas vezes ainda nem está disponível para a maioria da população no sistema público brasileiro) e o outro grupo receberá a droga nova, supostamente ainda melhor que a droga padrão.

É sempre importante lembrar que este tratamento inovador só é realizado mediante consentimento do paciente e estrito seguimento da equipe médica, que deverá cumprir todas as normas éticas locais e nacionais, bem como as boas práticas de pesquisa clínica, com foco na segurança e conforto do paciente. Todos os médicos envolvidos no processo de diagnóstico, tratamento e acompanhamento são informados sobre a evolução e intercorrências observadas durante os procedimentos propostos pelo estudo.

Interesse

Várias razões fazem com que os pacientes com câncer se interessem pelos protocolos de pesquisa, entre elas: a busca por melhores tratamentos, um aumento na qualidade e no tempo de vida e o fato de estarem contribuindo com o combate ao câncer. Outro motivo muito importante é o acompanhamento (24h) que o paciente recebe, pois qualquer mudança no estado é controlada por uma equipe médica. Quando o paciente está participando de um estudo a sua saúde é acompanhada de perto, pois qualquer efeito colateral é monitorado. Além disso, outra vantagem é que o paciente não tem gasto algum com o tratamento e com os exames.

Na última década, estas novas medicações fizeram com que a batalha contra o câncer ganhasse novos rumos e assim o número de estudos clínicos e técnicas de combate à doença estão crescendo a cada dia. No Brasil, cada vez mais, centros de referência para o tratamento do câncer estão participando de protocolos de pesquisa clínica. Para participar de um estudo clínico os pacientes não precisam se deslocar até as capitais do país, aqui mesmo em Passo Fundo é possível ter acesso a estes tratamentos inovadores. A clínica Cito, em parceria com o Hospital da Cidade de Passo Fundo, possui um Centro de Pesquisas Clínicas em Oncologia, que atua nesta área desde 2009, e participa de pesquisas previamente aprovadas no exterior e no Brasil para diferentes tipos de câncer.

A equipe ressalta que vários pacientes de Passo Fundo e de cidades da região são atendidos diariamente no Hospital da Cidade e têm acesso ao mesmo tratamento, acompanhamento, exames e medicações como se estivessem em qualquer hospital de referência dos Estados Unidos ou da Europa. O manejo do paciente que participa da pesquisa clinica deve ser absolutamente idêntico em qualquer hospital ou clínica. Este exemplo deixa claro que oferecemos em pesquisa clínica o que há de melhor para o cuidado dos pacientes com câncer. Isso além de ser uma garantia de um ótimo tratamento para os pacientes é motivador para a equipe de profissionais que está envolvida com a pesquisa.

Pesquisas em andamento

As pesquisas desenvolvidas pela Cito são minuciosamente avaliadas pelo corpo clínico que estuda e analisa as evidências para que o paciente possa vir a ter reais benefícios com o tratamento. Com a participação em estudos clínicos o maior objetivo é promover a saúde, sempre buscando aumentar a qualidade de vida dos nossos pacientes. Para mais informações converse com os médicos da equipe do Cito ou entre em contato pelo telefone (54) 2103 3490.

Atualmente estão em andamento vários estudos:

- Pacientes com câncer de pulmão que estão recebendo quimioterapia pela primeira vez e apresentam anemia podem receber uma medicação estimuladora da eritropoese administrada de forma subcutânea.

- Pacientes com câncer de próstata já tratados com hormonioterapia que apresentam elevação do PSA e metástases serão divididos em dois grupos para receber dois tipos diferentes de quimioterapia.

- Paciente com câncer de pulmão que já receberam quimioterapia e apresentaram resposta ao tratamento poderão receber uma vacina como terapia de manutenção.

- Pacientes com câncer de cabeça e pescoço que já realizaram tratamento com quimioterapia e radioterapia poderão receber uma medicação conhecida como anticorpo monoclonal administrada via oral.   

- Pacientes com leucemia linfocítica crônica que apresentam indicação de iniciar quimioterapia poderão receber uma medicação conhecida como anticorpo monoclonal.

Colaboraram

Equipe Centro Integrado de Terapia Onco-hemotológica

 

Gostou? Compartilhe