Começa aplicação de medicamento que previne infecções respiratórias em crianças de alto risco

Recomendação do Ministério da Saúde é a aplicação de até cinco doses com intervalos de 30 dias

Por
· 1 min de leitura
Foto: Divulgação/SESFoto: Divulgação/SES
Foto: Divulgação/SES
Você prefere ouvir essa matéria?

Na próxima segunda-feira (8), começa em todo o Estado a aplicação do medicamento Palivizumabe, indicado para prevenir formas graves da infecção pelo vírus sincicial respiratório (VSR), que causa bronquiolite e pneumonia em crianças de alto risco. O Palivizumabe é um anticorpo monoclonal, distribuído pela Secretaria Estadual da Saúde (SES) a instituições hospitalares e ambulatórios de egressos de alto risco localizados em todas as regiões do RS.

“Mesmo na pandemia as crianças devem receber este medicamento", afirma a médica pediatra Celia Boff de Magalhães, da Seção de Saúde da Criança da SES. Celia explica que crianças de alto risco são portadoras de prematuridade, ou pneumopatia ou cardiopatia. “Este medicamente as protege das formas graves de bronquiolite”, informa.

Com a aplicação deste medicamento preventivo, se busca a redução da mortalidade infantil e do índice de crianças com sequelas pulmonares. “Tendo em vista que o VSR tem uma forma sazonal de circulação, que vai de abril a agosto, com pico em junho e julho, todo os anos, iniciamos em março a aplicação do Palivizumabe para garantir a prevenção”, afirma. A recomendação do Ministério da Saúde é a aplicação de até cinco doses, com intervalos de 30 dias.

O tratamento é indicado especificamente nos seguintes casos:

- bebês prematuros, com idade gestacional menor ou igual a 28 semanas;

- crianças menores de 2 anos, com doença pulmonar crônica da prematuridade;

- crianças menores de 2 anos, com cardiopatia congênita.


Gostou? Compartilhe