Ministro da Defesa entrega o cargo e deixa governo Bolsonaro

Fernando Azevedo e Silva pediu demissão nesta segunda-feira (29)

Por
· 1 min de leitura
Azevedo estava à frente do Ministério da Defesa desde o início do governo Bolsonaro (Foto: TV Brasil/Divulgação)Azevedo estava à frente do Ministério da Defesa desde o início do governo Bolsonaro (Foto: TV Brasil/Divulgação)
Azevedo estava à frente do Ministério da Defesa desde o início do governo Bolsonaro (Foto: TV Brasil/Divulgação)
Você prefere ouvir essa matéria?

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, entregou a carta de demissão, na tarde desta segunda-feira (29) e deixa o governo Bolsonaro após mais de dois anos à frente das Forças Armadas Brasileiras. A informação foi confirmada pela assessoria da pasta, que divulgou à imprensa cópia da mensagem de Silva.

No carta de demissão, Silva agradece o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a quem disse "dedicar toda a lealdade" e agradeceu a oportunidade de ter servido ao país. "Nesse período, preservei as Forças Armadas como instituição de Estado. Saio na certeza da missão cumprida", disse.

Silva também afirma ter dedicado total lealdade ao presidente, e agradece aos comandantes das Forças Armadas (Aeronáutica, Exército e Marinha), bem como às respectivas tropas, “que nunca mediram esforços para atender às necessidades e emergências da população brasileira”.

Ex-chefe do Estado-Maior do Exército e comandante da Brigada Paraquedista antes de ir para a reserva, Azevedo estava à frente do Ministério da Defesa desde o início do governo Bolsonaro, em janeiro de 2019. Ele foi indicado para o cargo em novembro de 2018, depois que o presidente optou por nomear o também general Augusto Heleno – que estava cotado para assumir o ministério - para o comando do Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

Gostou? Compartilhe