Muita previsão pra pouco fim de mundo

Especia Fim do Mundo - Várias previsões do apocalipse já foram amplamente divulgadas, mas até agora ninguém acertou. Caso mais grave terminou em tragédia

Por
· 3 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Ao longo da história muitas foram as previsões de uma data para que o mundo acabasse. Todas elas, como você pode perceber, estavam erradas. De equipamentos que poderiam criar um buraco negro que engoliria a terra até pessoas que se diziam profetas que receberam revelações divinas, muitas foram as possibilidades divulgadas. Enquanto algumas não tiveram muitos resultados negativos, um caso radical acabou em tragédia no ano de 1978. Confira algumas dessas histórias:

LHC
Em 2008, quando a Organização Europeia para Pesquisa Nuclear se preparava para iniciar os testes com o Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês) muitas pessoas temiam que a colisão de partículas minúsculas pudessem criar um buraco negro e que isso representasse algum perigo para a terra, talvez até o fim do mundo. Embora alguns cientistas tenham tentado evitar que o equipamento – maior, mais complexo e mais caro construído, no valor de US$ 8 bilhões – fosse ligado, ele iniciou as operações ainda em 2008. Depois de alguns problemas, ele foi fechado para manutenção e voltou a operar no ano seguinte. O LHC continua em operação colidindo partículas em um túnel de 27 quilômetros de extensão. Os dados produzidos pelo equipamento são analisados por cientistas de todo o mundo.

Piauí
Neste ano, um homem que se dizia ser um profeta em Teresina no Piauí convenceu cerca de 120 seguidores a ficarem confinados em uma casa esperando o fim do mundo marcado para o dia 12 de outubro. O homem dizia que o comunicado do fim do mundo havia sido recebido por ele por meio da visita de um anjo.  Os seguidores que acreditaram na previsão se afastaram da família, deixaram empregos e alguns até doaram bens. Na casa, chamada de “arca da salvação”, os seguidores passavam o tempo todo fazendo orações e se alimentando de doações. Algumas pessoas moravam no local há dois anos e houve confusão quando o mundo não acabou no dia marcado. No mês de novembro a casa em que tudo aconteceu foi colocada à venda.

Três chances
No ano passado um pastor cristão evangélico Harold Camping havia anunciado que o fim do mundo aconteceria no dia 21 de maio. Após a previsão não se concretizar, ele anunciou no mesmo ano que no dia 21 de outubro seria iniciado o fim do mundo, mas novamente nada aconteceu. O pastor já havia feito uma previsão equivocada para o ano de 1994 que foi justificada como um erro em um cálculo matemático. Vários seguidores do pastor chegaram a abandonar casas, economias e empregos. Alguns até contrataram serviços de empresas para cuidar de seus bichos de estimação, que seriam deixados para trás. Muitos também doaram dinheiro para a confecção de cartazes e propagandas espalhados por diversos países.

Bug do Milênio
Na virada do ano de 1999 para 2000 a possibilidade do Bug do Milênio deixou muitas pessoas assustadas. O problema se daria com as datas e o medo era de que os computadores entendessem que o final 00 fosse entendido como o ano de 1900. Alguns mais exagerados diziam que os computadores poderiam causar o fim da vida moderna na Terra, por não conseguirem diferenciar as datas. No final, nada demais aconteceu além de algumas falhas eletrônicas.

Tragédia em 1978
Em 18 de novembro de 1978 uma tragédia relacionada a uma previsão de fim do mundo deixou mais de 900 mortos na Guiana. Os seguidores de Jim Jones, que era líder da seita Templo do Povo, estavam em uma cidade fundada por Jones na Guiana e chamada Jamestown. Ele e seus seguidores haviam se mudado para lá, depois que Jones foi acusado da morte de seguidores que iriam abandonar sua igreja, envolvida em escândalos de agressões físicas e sexuais, na Califórnia.

Um dia antes da tragédia, o deputado Leo Ryan, e jornalistas norte-americanos foram até o local para investigar as suspeitas de violências cometidas no templo. Eles foram bem recebidos e ficaram com boas impressões das condições de vida na comunidade isolada na floresta. Quando a comitiva se preparava para ir embora alguns membros da seita quiseram retornar aos EUA. Seguidores de Jones assassinaram o deputado e os jornalistas. No mesmo dia, o falso profeta mandou reunir todas as pessoas num pavilhão central e deu ordens para que todos tomassem veneno.

Gostou? Compartilhe