Escolas de samba não receberão mais dinheiro público

Com recursos privados, governo garante que nenhuma agremiação receberá recursos menores do que aqueles repassados para o carnaval deste ano

Por
· 3 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

 

A Prefeitura de Passo Fundo suspendeu a partir do próximo carnaval o repasse de verbas públicas para as entidades carnavalescas do município. O corte, que neste ano variou entre R$ 10 mil e R$ 45 mil, foi definido pelo prefeito Luciano Azevedo, em uma reunião realizada nesta quarta-feira (13) de cinzas com presidentes das escolas de samba da cidade. A intenção é que o carnaval seja totalmente financiado com recursos privados a partir de 2014. “Vamos fazer um carnaval mais organizado, mais profissional e com mais recursos financeiros. As escolas e o público serão os maiores beneficiados com estas mudanças. A grande diferença é que ajudaremos as escolas a captarem recursos junto à iniciativa privada”, afirmou Luciano.

Segundo o secretário de Cultura, José Ernani, a organização do carnaval permanecerá a cargo da Prefeitura. No entanto, a partir de 2014 serão utilizados exclusivamente recursos da iniciativa privada. Para que isso ocorra, será criada imediatamente uma comissão que será responsável pela busca de parcerias e patrocínios para financiar o evento, reduzindo o impacto nos cofres do Município.

Há pelo menos duas décadas o município é o único financiador do evento. Somente neste ano, a Prefeitura investiu no total R$ 393 mil para a realização do desfile de carnaval, que ocorreu no último sábado (9). Cada uma das quatro escolas do grupo especial recebeu R$ 45 mil. Três entidades do grupo A receberam R$ 22,5 mil. Já o repasse para a estreante Unidos da Vila Operária foi de R$ 10 mil. Na infraestrutura da Avenida Sete de Setembro, o investimento totalizou R$ 141 mil.

Privatização
A principal mudança é a locação de camarotes e espaços diferenciados na Avenida Sete de Setembro. Segundo Ernani, a intenção é iniciar imediatamente a busca de patrocinadores para que o município possa melhorar a infraestrutura da avenida e para que as entidades recebam os primeiros repasses a partir de outubro. Até este ano, as escolas recebiam os recursos somente 40 dias antes do desfile, o que dificultava o planejamento e a confecção das fantasias e carros alegóricos. “Vamos buscar parcerias com a iniciativa privada para que possamos tornar o carnaval mais organizado e atrativo. Faremos a venda de camarotes ou espaços diferenciados para as empresas interessadas receberem seus convidados. Com mais tempo e dinheiro, vamos melhorar as condições das escolas desfilarem e estaremos incentivando as escolas a se prepararem lentamente, com mais tempo”, garantiu o secretário.

O compromisso é de que nenhuma agremiação receberá recursos menores do que aqueles repassados para o carnaval deste ano. A única diferença, conforme o prefeito, é que os valores serão privados e não públicos. Também participou do encontro o presidente da Funzoctur, Daniel Lé.

Apoio
A Liga Independente das Escolas de Samba de Passo Fundo defende abertamente os patrocinadores e outras fontes de financiamento, já que o atual repasse é insuficiente para custear os desfiles. Na opinião do presidente, Gilvan Marinho, a proposta é uma inovação para o carnaval de Passo Fundo. “Esperamos que esta mudança realmente dê certo para que o próximo carnaval seja muito melhor que 2013", disse. O dirigente relata que os repasses, até então financiados pela Prefeitura, cobrem cerca de 40% das despesas e que o atual regulamento não permite patrocínios de empresas. “Para realizar um bom desfile, algumas escolas chegam a desembolsar até R$ 40 mil. Neste ano, recebemos uma proposta de uma empresa para patrocinar os carros alegóricos, mas como era proibido foi preciso correr atrás, com promoções, rifas e doações. As empresas nos ajudando não vamos passar pelo sufoco de última hora para custear o desfile. Além disso, se recebemos com maior antecedência poderemos adquirir os materiais com antecedência e vai dar tempo para trabalhar e conseguir preços melhores”, comentou Marinho, que também é vice-presidente da escola Acadêmicos da Cohab.

Mudanças
A iluminação da Avenida Sete de Setembro, sonorização, diminuição de tempo entre a entrada de uma escola e outra são alguns itens que serão melhorados. A Secretaria também estará agindo para que um número maior de pessoas possam acompanhar o carnaval, e para que o desfile aconteça em horários que permitam o acompanhamento de todas as escolas, até sua finalização.

Prestação de contas
Na reunião também foi assunto a prestação de contas das escolas de samba que participaram do desfile realizado no último final de semana. Pelo regulamento, as agremiações tem até 30 dias após o desfile para apresentarem a documentação.

Gostou? Compartilhe