OPINIÃO

Fatos 12.04.2018

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Onde foram parar as madeiras?
O Ministério Público Federal pediu a indisponibilidade de R$ 788 mil do ex-prefeito de Mato Castelhano, Solano Canevese, valor calculado para sanar dano causado ao erário, além de aplicação de multa civil prevista para os casos de enriquecimento ilícito no valor de R$ 591 mil. Canevese é acusado pelo MPF de ter se apropriado de madeiras doadas pelo Ibama em 2007 e 2008, na época em que foi prefeito do município. A prefeitura recebeu as madeiras com o compromisso de destiná-las à construção e reforma de moradias de pessoas carentes e de uma Sede de Convivência para Terceira Idade. No entanto, os moradores indicados pelo ex-prefeito como beneficiários moram em casas precárias e afirmaram no processo nunca terem recebido a doação. A investigação apurou que as madeiras doadas pelo Ibama foram parar na madeireira de propriedade de Canevese, o que configura ato de improbidade e enriquecimento ilícito. Desde 2015 o Ibama requisita ao município e ao réu prestação de contas do encargo da doação das madeiras e esclarecimentos acerca da destinação dos bens, não sendo comprovada minimamente a regularidade do uso das madeiras, segundo consta do processo.

 

Rebatizado
Os deputados federais incorporaram Lula em seus nomes e a ideia se espalhou pelo Brasil. Em reação, vereadores de São Paulo, Felipe Camozzatto vira Felipe Lava-Jato, e Fernando Holiday passa a se chamar Fernando Moro Holiday.


Encontrão
O PDT realiza no dia 14, em Passo Fundo, o I Encontrão Regional de Formação Política do partido. Será na Câmara de Vereadores, das 8h30 às 12h30. Serão palestrantes Lauri Bernardes e Wendel Pinheiro, da secretaria nacional de formação política.


Entendimento
O professor de direito constitucional da Imed, e advogado Fausto Morais, em uma de suas intervenções no sábado de manhã, no programa Sem Segredo da Rádio Uirapuru, lamentou que o fundamentalismo político esteja impedindo um debate claro e de bom nível entre as pessoas. “O que nós percebemos é um discurso cada vez mais pautado pelo ódio, especialmente nas redes sociais e isso é muito ruim para a democracia”.

Gostou? Compartilhe