Praça da Mãe será recuperada

Pichação danificou trabalho de artista que venceu edital

Por
· 1 min de leitura
Restauração deve ocorrer no começo de fevereiroRestauração deve ocorrer no começo de fevereiro
Restauração deve ocorrer no começo de fevereiro
Você prefere ouvir essa matéria?

A ação de vândalos danificou uma das obras de arte urbana realizadas nos espaços públicos de Passo Fundo. Trata-se para pintura realizada pelo artista Tales Gonçalves Visentin, um dos vencedores do edital lançado no ano passado pela Prefeitura de Passo Fundo para o embelezamento de espaços públicos através da arte urbana. Mas Tales não pensou duas vezes ao se deparar com o ato de vandalismo que danificou a sua obra no muro que emoldura a estátua na praça da Mãe, na Avenida Brasil, em frente ao Colégio Fagundes dos Reis: “vou fazer tudo de novo”, garante.

 

A pichação atingiu grande parte de um dos lados do painel, um dos espaços públicos da cidade escolhidos pela Secretaria de Cultura para receber intervenções artísticas. Tales trabalhou durante vários dias para finalizar a obra que consumiu 43 litros de tinta há seis meses. “Isso é um desrespeito à cidadania, à cidade, à arte e ao direito de termos espaços contemplados com intervenções urbanas que provoquem um olhar mais provocativo e apurado por parte da população”, destaca.

 

Para a recuperação, Tales vai contar com a ajuda da Confraria das Artes de Passo Fundo, grupo de  voluntários apaixonados pela arte que se uniram para desenvolver ações pela cidade. A Confraria  chegou a publicar em seu perfil em rede social que lamenta profundamente a depredação do painel : “Nunca a violência e a depredação vão vencer o amor, o respeito e a arte”, dizia a publicação.

 

A obra “Amor de Mãe Natureza”, faz parte dos projetos de intervenção artística incentivados pela Prefeitura de Passo Fundo como forma de valorizar artistas da cidade. O painel retrata harmonia, liberdade e conectividade entre as mais diversas vidas presentes nas florestas do país. Com formas abstratas, cores que remetem terra, céu, plantas, aves em risco de extinção, a obra busca a reconexão com a árvore da vida, símbolo de ascensão e evolução do ser humano, trazendo equilíbrio, consciência e preservação ambiental. A Secretaria da Cultura fornecerá novamente o material necessário para a recuperação do painel. A previsão é para o restauro aconteceu nos dias 2 e 3 de fevereiro, se não chover.

Gostou? Compartilhe