Escola da APAE se adapta e oferece aulas e acompanhamentos online

Desde o ano passado, os profissionais da Instituição realizam vídeo-chamadas ou encaminham videoaulas aos alunos

Por
· 1 min de leitura
Foto: Felipe Souza/Ascom APAEFoto: Felipe Souza/Ascom APAE
Foto: Felipe Souza/Ascom APAE
Você prefere ouvir essa matéria?

Com 93 alunos, a Escola Especial O Sorriso de Amanhã, da APAE de Passo Fundo, atende, atualmente, estudantes de seis a 25 anos nos Ciclos de Aprendizagem (seis a 14 anos) e Educação de Jovens e Adultos (15 a 30 anos). Com 11 profissionais no quadro, os educadores precisaram se adaptar aos novos tempos para continuar levando conhecimento e mantendo a proximidade com os alunos. O que antes era lecionado pessoalmente, hoje, é transmitido pela tela do computador ou celular, através de vídeo-chamadas ou vídeoaulas.

De acordo com a Diretora da Escola, Eliz Roberta Kuhn, a adaptação ao novo modo de dar aulas, por vídeo, sem contato físico, foi urgente e necessária por conta da pandemia. “Através do meio digital os professores realizam as atividades não presenciais se utilizando do WhatsApp para manter contatos e aulas on-line e através de vídeoaulas de segunda a sexta-feira, dando seguimento à rotina escolar, porém, agora, cada aluno em sua casa. Também conforme necessário, os alunos recebem materiais impressos e pedagógicos para realizar as atividades”, explica.

Segundo Eliz, o encontro físico foi substituído pelo abraço virtual. “Através da tela do celular, professores e alunos podem se conectar, compartilhar conhecimentos e aprendizados e matar a saudade”, destaca, ao salientar que não houve outra alternativa para levar o ensino aos alunos, a não ser através do meio digital. “Não pudemos decidir nem escolher, portanto, tudo foi realizado conforme a necessidade individual de cada aluno para que as aprendizagens e avanços pudessem ser alcançados”.

 

Reinvenção do ensino

A adaptação ao novo formato de ensino, principalmente na Educação Especial, trouxe aos profissionais da APAE novas necessidades e objetivos, e, segundo Eliz, famílias e escola se reinventaram. “Nesse período de aulas remotas em meio a pandemia, muitas conquistas foram feitas. Hoje, conhecemos muito mais a realidade de cada família e de cada aluno. Percebemos mais suas necessidades de aprendizagem e avançamos muito, ambos, no uso das tecnologias para benefício do aluno. Tivemos muitas conquistas nesse período que, talvez em outra situação, não aconteceriam”, afirma a diretora.

 

Engajamento da família

Nesse novo período, a família foi de extrema importância para o ensino chegar até os alunos, e como enfatiza Eliz, pais e/ou responsáveis também precisaram se adaptar para a realização das atividades. “ O engajamento da família foi muito gratificante e o retorno das atividades, seja realizado por áudio, vídeo ou fotos, marca essa fase de forma muito significativa. Este período está sendo marcado por um registro muito mais fiel e significativo dos avanços de cada aluno”.


Gostou? Compartilhe