O bem-estar animal como foco no atendimento de animais de grande porte

Acadêmicos, residentes, professores e funcionários desenvolvem atividades voltadas para o bem-estar de equinos internados no Hospital Veterinário

Por
· 2 min de leitura
Foto: Camila Guedes/UPFFoto: Camila Guedes/UPF
Foto: Camila Guedes/UPF
Você prefere ouvir essa matéria?

O amor pela profissão se traduz de diversas formas quando posto em prática, na preocupação com o paciente, na busca pela cura, e no atendimento humanizado e de excelência. Trabalhar com animais é função do médico veterinário e a Universidade de Passo Fundo (UPF), além de oferecer formação, possui um Hospital Veterinário que atende pacientes de Passo Fundo e região.

Você sabe o que é bem-estar animal? Pois é com o objetivo de esclarecer isso à comunidade e colocar em prática ações que a residente do Programa em Residência em Medicina Veterinária, Júlia Barbieri Zorrer; as acadêmicas do curso de Medicina Veterinária, Tainá Fiuza e Mariah Teixeira; e demais membros da equipe da Clínica Médica de Equinos do Hospital Veterinário, vem atuando ao desenvolver um projeto voltado para o bem-estar dos equinos.

O bem-estar animal se preocupa com a qualidade de vida, avaliando condições físicas e psicológicas dos animais. “É muito comum que cavalos encocheirados desenvolvam síndromes como aerofagia, coprofagia, automutilação e até desenvolvam afecções em decorrência do estresse que passam. Como sabemos, o conceito de bem-estar animal vai muito além dos cinco pilares: livre de fome, sede, de medo, angústia, doenças, de desconforto e claro, livre para expressar o seu comportamento natural. Pois, dentro de cada uma destas cinco liberdades, podemos fornecer o melhor possível para os animais”, explica Julia.

Dessa forma, o conceito de bem-estar animal está dentro de cada ação voltada para melhorar a estadia dos animais no local que se encontram. A equipe que atua no Setor de Grandes Animais do Hospital vem desenvolvendo atividades, como manobras para que os equinos internados possam ser desafiados para consumir os alimentos. A ação visa entretê-los e ajudar na sua recuperação. “Com esse conceito do bem-estar realizamos manobras com frutas, cenouras, maçãs, pendurando para exercer certa dificuldade do animal para se alimentar. Dessa forma, isso vai diminuir o índice de cortisol e aumentar a endorfina, e melhora a cicatrização, além de todos os fatores de bem-estar, tem essa função fisiológica”, comenta Julia.

De acordo com o professor Leonardo Porto Alves, que atua também como tutor no Programa de Residência em Medicina Veterinária, a importância da ação se dá na medida em que estudantes da Residência, profissionais e acadêmicos de Medicina Veterinária da UPF atuam em conjunto, em um ambiente de ensino e prestação de serviços, onde o cuidado é o foco no paciente. “Somos uma escola que tem a formação profissional em Medicina Veterinária em todos os pilares: ensino, pesquisa, extensão, pós-graduação lato sensu e stricto sensu. O bem-estar parece muitas vezes distante, mas é importante que os alunos assimilem e coloquem em prática. Dessa forma, os acadêmicos não serão somente bons profissionais, que sabem fazer os procedimentos, mas terão esse cuidado especial, com amor ao que faz e ao paciente que ali está ali internado”, finalizou.

Gostou? Compartilhe