Alimentos arrecadados na campanha Passo Fundo Solidária começam a ser distribuídos

Cestas básicas são entregues a entidades assistenciais para que sejam destinadas a famílias que precisam

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Os alimentos arrecadados na campanha Passo Fundo Solidária foram divididos em cestas básicas, que começaram a ser entregues a entidades assistenciais. Mais de 60 toneladas deverão ajudar uma parcela da comunidade que está sofrendo com os impactos econômicos da pandemia.

A campanha foi realizada entre os dias 11 e 17 de abril, unindo a Prefeitura, empresas, entidades e a comunidade. O prefeito, Pedro Almeida, considera que a expectativa da mobilização foi superada, possibilitando que mais famílias que estão atravessando dificuldades obtenham ajuda para a alimentação. “Tivemos mais de 100 empresas parceiras e mais de 70 pontos de arrecadação, espalhados por toda a cidade. Milhares de passo-fundenses se solidarizaram e ajudaram”, disse.

A secretária-adjunta de Cidadania e Assistência Social, Elenir Chapuis, explica que as entidades que receberão os alimentos foram elencadas pelos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e farão a distribuição para as famílias que precisam. “A rede socioassistencial é organizada por meio de uma oferta integrada de serviços, programas, projetos e benefícios. Os CRAS fazem a gestão territorial, descentralizando a assistência para as diversas regiões da cidade. As entidades que estão em cada território são essenciais nesse processo, uma vez que atendem e conhecem as famílias”, salienta.

Nesta quinta-feira (22), 50 sacolas foram destinadas à unidade Leão XIII do Bairro Victor Isler. Mesmo não podendo dar sequência aos atendimentos das mais de 100 crianças e adolescentes acompanhados em decorrência das medidas de prevenção ao coronavírus, o espaço continua prestando serviços psicológicos e fornecendo alimentação às famílias.

O educador social Elvis Mendes enfatiza que a unidade fará um mapeamento das pessoas que mais precisam para, então, distribuir os donativos. “Há muitas famílias que estão enfrentando dificuldades ou que tiveram as dificuldades acentuadas. Muitas famílias com um grupo grande e que sofrem com a perda de empregos”, considera.

De acordo com Elvis, o trabalho desenvolvido pela Leão XIII, que tem como objetivo principal acolher crianças e adolescentes no contraturno escolar e possibilitar o seu desenvolvimento integral, conta com o apoio de doações. “A entidade se mantém com doações e também com padrinhos. As doações não são obrigatórias, mas são sempre bem-vindas”, enfatiza.

Mais de 15 entidades, elencadas pelos CRAS deverão receber os alimentos mediante um cronograma. Todas elas já compõem a rede socioassistencial, integram os conselhos municipais e realizam atendimentos ao público vulnerável.

Ainda segundo Elenir, os CRAS farão a entrega diretamente para algumas famílias atendidas pela rede. “São famílias em situação de vulnerabilidade, sem renda e que são acompanhadas pelos centros”, pondera.

Além de organizar a campanha, a Prefeitura comprou 4,8 mil cestas básicas, acrescidas às doações da comunidade. Neste ano, outras 4 mil cestas já haviam sido distribuídas pelo município às famílias assistidas.

Gostou? Compartilhe