MPT reverte indenização de construtora para escolas e penitenciária de Passo Fundo

Valor de R$ 300 mil decorre de indenização por dano moral coletivo após acidente fatal ocorrido em obra de ampliação do Clube Comercial

Por
· 1 min de leitura
Foto: CUFA Passo FundoFoto: CUFA Passo Fundo
Foto: CUFA Passo Fundo
Você prefere ouvir essa matéria?

O Ministério Público do Trabalho (MPT) reverteu R$ 300 mil reais cobrados de uma construtora para quatro projetos sociais em Passo Fundo e município da região. O valor, segundo o MPT, decorre de indenização por dano moral coletivo após acidente fatal ocorrido em obra de ampliação do Clube Comercial em novembro do ano passado.

Uma parte deste montante vai possibilitar a instalação de uma cobertura metálica da quadra poliesportiva da Escola Estadual Gomercindo dos Reis, na Vila Carmem, além de R$ 125 mil para outros três projetos: reforma do prédio da Associação Educativa Agostini, que atende cerca de 60 crianças e adolescentes em contraturno escolar, e 25 mulheres em oficinas de capacitação no Bairro São José; capacitação profissional voltado a técnicas de panificação do Presídio Regional de Passo Fundo; e a Central Única de Favelas (CUFA) de Frederico Westphalen receberá os R$ 18 mil restantes para a distribuição de cestas básicas, continuando a parceria com o MPT, que reverte valores para o projeto desde 2020 para atenuar os efeitos da crise econômica do coronavírus na região.

Gostou? Compartilhe