Secretaria de Saúde de Passo Fundo nega aplicação de doses vencidas da AstraZeneca

Dos sete lotes da AstraZeneca mencionados pelo veículo de comunicação como supostamente aplicados fora do prazo de validade no estado, o município recebeu dois

Por
· 2 min de leitura
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Você prefere ouvir essa matéria?

Após a divulgação de uma matéria que fala da aplicação de doses vencidas em mais de 60 municípios gaúchos, a Secretaria Municipal de Saúde esclarece que a ação não foi efetuada em Passo Fundo. Dos sete lotes da AstraZeneca mencionados pelo veículo de comunicação como supostamente aplicados fora do prazo de validade no estado, o município recebeu dois, o 4120Z005 e o CTMAV520, utilizados adequadamente.

As vacinas pertencentes ao lote 4120Z005, que tinham validade até 14 de abril deste ano, chegaram no dia 26 de janeiro e foram, imediatamente, encaminhadas aos hospitais para que vacinassem os trabalhadores da linha de frente do combate da pandemia. Ao todo, foram recebidas 3,2 mil unidades. Enquanto 2,5 mil foram direcionadas ao Hospital São Vicente de Paulo, 700 foram ao Hospital de Clínicas.

Já 2,5 mil doses do lote CTMAV520, com validade até 31 de maio de 2021, foram disponibilizadas ao município no dia 26 de março. As unidades foram aplicadas nos dias 27 e 28 de março, no CTG Lalau Miranda, em pessoas que nasceram nos anos 1952 e 1953.

Conforme a matéria divulgada, teriam sido aplicadas sete doses vencidas no Hospital São Vicente de Paulo e uma no Hospital de Clínicas. Ao contestar a informação, a Secretaria Municipal de Saúde destaca que os frascos da AstraZeneca são multidoses, ou seja, com cada frasco, é possível aplicar 10 doses, o que não embasaria o levantamento de que oito pessoas, de dois hospitais, teriam recebido doses com prazo prescrito. 

A Secretaria Municipal de Saúde afirma que os dados sobre o lote e a data de aplicação das doses constam na carteirinha da população vacinada. Ainda, reforça que a vacinação é realizada com agilidade e responsabilidade, com a adoção de todos os cuidados com as vacinas, desde a observação ao prazo de validade ao armazenamento e aplicação, para garantir a segurança e a eficácia das doses.

Folha de São Paulo apurou oito aplicações no município

Com base nos registros oficiais do Ministério da Saúde, filtrados pelo jornal Folha de São Paulo, oito passo-fundeses teriam recebido doses de lotes vencidos da Oxford/AstraZeneca. Sete aplicações teriam sido realizadas no Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) e uma Hospital de Clínicas (HC)

Até o dia 19 de junho, 26 mil aplicações com 8 lotes fora do prazo de validade do imunizante foram realizadas no país. Segundo a Folha, outras 114 mil doses da AstraZeneca, que é a vacina mais utilizada no Brasil para a imunização contra o coronavírus, distribuídas a estados e municípios dentro do prazo de validade já expiraram.

O que fazer

De acordo com o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19, quem tomou imunizante vencido precisa se revacinar pelo menos 28 dias depois de ter recebido a dose e ir ao posto de saúde com a carteira de vacinação para registro do erro na imunização.

Fonte: Folha de S. Paulo


Gostou? Compartilhe