Elevação da temperatura alerta para proliferação do Aedes aegypti

Município já registrou surto da doença em 2021, com 56 casos

Por
· 1 min de leitura
Eliminar locais com água parada é o principal cuidado para evitar o mosquito (Foto: Divulgação/ON)Eliminar locais com água parada é o principal cuidado para evitar o mosquito (Foto: Divulgação/ON)
Eliminar locais com água parada é o principal cuidado para evitar o mosquito (Foto: Divulgação/ON)
Você prefere ouvir essa matéria?

A elevação da temperatura, em pleno inverno, já começa a preocupar a Vigilância Ambiental em Saúde com o risco maior de proliferação do mosquito Aedes aegypti e o aumento dos casos de dengue em Passo Fundo. Entre os meses de março e maio, o município registrou o maior surto da doença em sua história. Foram 56 casos confirmados, apenas três deles importados. Uma pessoa morreu vítima da doença. O foco aconteceu no bairro Lucas Araújo.

“O Aedes aegypti continua existindo, as larvas a gente ainda encontra, em menor quantidade, mas ainda persiste. Com as altas temperaturas ele se prolifera mais rápido e acende o alerta”, disse a chefe do Núcleo, Ivânia Silvestrin. Por isso, as visitas e orientações estão sendo intensificadas. Um novo levantamento do índice de infestação, realizado quatro vezes ao ano, deve determinar quais locais e bairros apresentam mais focos do mosquito e permitir que metas sejam traçadas.

Casos

O número de casos de dengue na cidade é sete vezes maior do que o registrado em 2020, quando foram confirmados oito casos. A região abrangida pela 6ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS) também teve aumento nos registros, passando de 11 em 2020, para 65 neste ano, conforme o Informativo Epidemiológico das Arboviroses, com dados até 14 de agosto. Além da dengue, a região ainda registra dez casos da Febre de Chikungunya, sendo oito contraídos no próprio município e nenhum de Passo Fundo.

"Estamos infestados desde março de 2013. Desde lá temos o mosquito circulando na cidade e bairros. O outro motivo é que temos várias cidades que estão com epidemias de dengue, então possivelmente o deslocamento dessas pessoas para cá pode trazer o vírus, ou mesmo os moradores da cidade”, analisa Ivânia.

O núcleo segue recebendo notificações de suspeita de dengue, no entanto, elas têm tido resultado negativo. “Fizemos um trabalho intenso de visitas, bloqueios e pulverização, tivemos o surto no bairro Lucas Araújo e conseguimos evitar que se disseminasse”, relata Ivânia.

Cuidados

O mosquito Aedes aegypti é responsável pela transmissão da dengue, chikungunya e zika. O principal cuidado para evitar sua proliferação é a eliminação de locais com água parada.

Gostou? Compartilhe