Uma residência voltada ao atendimento integral e multidisciplinar ao paciente com câncer

Egresso compartilha sua experiência na Residência em Atenção ao Câncer da UPF, em parceria com o Hospital São Vicente de Paulo e Prefeitura de Passo Fundo

Por
· 2 min de leitura
 Com números de casos de câncer aumentando a cada dia, profissionais capacitados para atender os pacientes oncológicos de forma integral é fundamental (Foto: Divulgação) Com números de casos de câncer aumentando a cada dia, profissionais capacitados para atender os pacientes oncológicos de forma integral é fundamental (Foto: Divulgação)
Com números de casos de câncer aumentando a cada dia, profissionais capacitados para atender os pacientes oncológicos de forma integral é fundamental (Foto: Divulgação)
Você prefere ouvir essa matéria?

O atendimento multidisciplinar ao paciente com câncer é uma tendência na oncologia. Com números de casos de câncer aumentando a cada dia, profissionais capacitados para atender os pacientes oncológicos de forma integral é fundamental para a cura da doença e para uma melhor qualidade de vida. O câncer é uma das doenças mais temidas e, atualmente, é a segunda principal causa de morte no mundo, com 9 milhões de óbitos por ano. Estimativas indicam que, em poucos anos, deve se tornar a primeira causa. Só no Brasil, o câncer mata mais de 220 mil pessoas por ano.

Esses dados mostram o quanto o atendimento integral ao paciente com câncer envolvendo uma equipe de profissionais de diferentes áreas se torna uma demanda imprescindível. Esse atendimento multidisciplinar pode significar melhores resultados no tratamento dessa doença que é muito complexa. Nesse sentido, o Programa de Residência Multiprofissional Integrada em Atenção ao Câncer, existente há oito anos e desenvolvido pela Universidade de Passo Fundo (UPF) em parceria com o Hospital São Vicente de Paulo e a Prefeitura de Passo Fundo, capacita profissionais de sete cursos da área da saúde: Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia e Serviço Social.


“A residência foi o grande marco na minha carreira profissional”

Douglas Roberto Pegoraro, 30 anos, egresso da Residência Multiprofissional Integrada em Atenção ao Câncer entre 2013 e 2015, compartilha a experiência que teve durante a especialização. Formado em Fisioterapia pela UPF, hoje atua no Hospital São Vicente de Paulo e é preceptor do Programa de Residência, do qual foi aluno. “Tenho o prazer de conhecer a maioria dos residentes já formados, absolutamente todos inseridos no mercado de trabalho. Com certeza, o Programa é um diferencial para aqueles que o cursam, pois o aprendizado nos dois anos é muito grande”, revela o fisioterapeuta.

O egresso da residência também relata a importância desta integração entre as áreas do conhecimento no atendimento ao paciente. “Posso dizer que é uma experiência única, que conecta o profissional formado com as mais diversas experiências do sistema de saúde. A residência me deu uma bagagem prática imensa, abriu muitas portas e me fez enxergar o trabalho dos mais diversos profissionais. Hoje, seis anos após, posso dizer que a residência foi o grande marco na minha carreira profissional”, declara Pegoraro.

Os alunos da residência também são contemplados com uma bolsa. “Você tem a vantagem de receber uma bolsa e ao final dos dois anos, obter o diploma de uma pós-graduação. Cursar uma residência é sem dúvidas um diferencial profissional”, afirma o egresso.


Sobre as Residências da UPF:

Além da Residência Multiprofissional Integrada em Atenção ao Câncer, a UPF oferece a Residência Multiprofissional Integrada em Saúde do Idoso nas áreas de Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia e Nutrição, a Residência Multiprofissional em Cardiologia nas áreas de Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia e Psicologia, a Residência Multiprofissional em Atenção ao Câncer nas áreas de Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia e Psicologia, a Residência em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial em área profissional de Odontologia e a Residência Integrada em Medicina Veterinária.

A duração dos cursos é de dois anos, exceto no Programa de Residência em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial, cujo prazo de duração é de três anos. Os residentes recebem uma bolsa de aproximadamente R$ 3,3 mil.

As inscrições para os programas de residências da UPF iniciam em outubro de 2021. Mais informações em www.upf.br/pos, em Residências.  



Douglas Roberto Pegoraro é preceptor do Programa de Residência Multiprofissional Integrada em Atenção ao Câncer, do qual também foi aluno (Foto: Arquivo pessoal/ Douglas Roberto Pegoraro)


Gostou? Compartilhe