Pandemia incentiva produção caseira na Páscoa

Véspera de feriado foi de movimento em lojas e atacados

Por
· 1 min de leitura
Os produtos mais tradicionias e industrializados continuam sendo procurados (Foto: Bruna Scheifler/ON)Os produtos mais tradicionias e industrializados continuam sendo procurados (Foto: Bruna Scheifler/ON)
Os produtos mais tradicionias e industrializados continuam sendo procurados (Foto: Bruna Scheifler/ON)
Você prefere ouvir essa matéria?

Em função das restrições de clientes impostas pelo Distanciamento Controlado, longas filas se formaram no lado de fora das lojas especializadas em chocolates durante toda a quinta-feira (1) em Passo Fundo.

Como vem acontecendo nos últimos anos, os ovos caseiros têm roubado a cena na Páscoa. Nesta edição, em um atacado da cidade, a procura por ingredientes para a produção caseira cresceu em torno de 30%. “Muita gente acabou perdendo o emprego e começou a produzir em casa para vender aos vizinhos, familiares e conhecidos. Então produz um bolo, uma torta, alguma coisa para se sustentar. Foi o que a gente percebeu, que o pessoal teve que se reinventar”, relata Emanuele Machado, uma das proprietárias do estabelecimento.

Além disso, o tempo em casa contribui para aventuras na cozinha. “Os pais acabaram vindo comprar o chocolate, a forminha, para entreter os filhos”, conta Marineide Piva, também proprietária.

Enquanto isso, o tradicional ovo industrializado acabou preterido. “O ovo industrializado o pessoal não está mais procurando tanto. A preferência tem sido pelo caseiro e artesanal. Percebemos que muita doceira apostou nisso, fazer os ovos de colher para ter o gosto mais caseiro”, explica Emanuele.

Durante a semana, todo o movimento foi intenso, com um pouco de aumento em relação ao ano passado. Para o sábado, a expectativa é que a procura seja por itens de última hora e reposição. “Acredito que o pessoal já foi se antecipando durante a semana, esperando que o comércio estaria todo fechado”, explica Emanuele.

Tradicional

Em uma loja no centro, o movimento também foi intenso durante toda a semana, de acordo com a proprietária Marialda Antunes. “Nos surpreendeu por toda essa pandemia. A autorização para abrir no sábado é uma ajuda muito grande”, disse, em referência a liberação do comércio não essencial no sábado pelo governo estadual. Na segunda Páscoa com restrições, Marialda considera que as vendas neste ano estão melhores. A loja também passou a realizar vendas no formato delivery. A proprietária conta que o resultado surpreendeu e que eles estão mais preparados depois de um ano de pandemia.

Gostou? Compartilhe