Folclore volta a colorir Passo Fundo

Segunda edição do Festival de Dança Patrimonial em Pares segue até o dia 22 deste mês

Por
· 3 min de leitura
Na segunda-feira, bailarinos de oito países se apresentaram de maneira gratuita para todas as escolas municipais da rede pública de ensinoNa segunda-feira, bailarinos de oito países se apresentaram de maneira gratuita para todas as escolas municipais da rede pública de ensino
Na segunda-feira, bailarinos de oito países se apresentaram de maneira gratuita para todas as escolas municipais da rede pública de ensino
Você prefere ouvir essa matéria?

Aglomerados pelo saguão da Escola de Ensino Fundamental Cohab Secchi, na tarde de segunda-feira (16), centenas de estudantes acompanhavam com olhos atentos o casal de bailarinos uruguaios que rodopiava pelo espaço. Vindos de Montevidéu, Oscar Luz e Paola Cardoso chegaram a Passo Fundo há menos de uma semana, à convite do Festival de Dança Patrimonial em Pares (Danzpare Brasil). Embora cansados – somente na segunda-feira, os casais de bailarinos que fazem parte desta edição do evento visitaram 72 escolas municipais da rede pública de ensino em Passo Fundo –, durante a atividade, Paola e Oscar não dispensavam sorrisos enquanto, após a apresentação de uma coreografia típica do Uruguai, respondiam ainda a questionamentos e pedidos de fotos feitos pelos pequenos, que passaram um mês estudando a cultura dos oito países participantes.

A segunda edição do evento teve início no último domingo (14) e segue até este fim de semana, com a participação de dançarinos de países como Argentina, Chile, Equador, Colômbia, Guatemala, Peru, Uruguai e Brasil. Tantos países não são à toa. Criado em 2010, na Costa Rica, o Danzpare tem como objetivo divulgar a cultura dos povos por meio da dança e da música. Em Passo Fundo, o evento chegou no ano de 2017, por iniciativa da empresa Centro de Danças Baillar, que detém os direitos de promoção do festival no Brasil. A atividade tem ideais bastante semelhantes ao tradicional Festival Internacional de Folclore de Passo Fundo, principalmente em seus objetivos: apresentando a arte típica de suas regiões de maneira gratuita, os casais visitam educandários e espaços públicos do município e, assim, colocam a população em contato direto com o folclore de outros países. A principal diferença, conforme a produtora cultural do Danzpare Brasil, Raquel Rubert Pereira, está na proporção: enquanto no Festival de Folclore, Passo Fundo recebe grupos com dezenas de integrantes, no Danzpare os países se apresentam somente em pares.

Além de facilitar a promoção da atividade do ponto de vista financeira, para os bailarinos, que estão acostumados a viajar em grandes grupos, o formato proporciona uma nova experiência profissional. “O Danzpare é um evento lindo e muito organizado. É interessante o intercâmbio que proporciona, para nós, com os outros pares e com a comunidade. Quando viajamos em grupo, mesmo que haja uma troca, acabamos ficando muito entre nós, um pouco mais fechados em nossos grupos. Nos abrimos pouco para outras pessoas. Assim, em casais, a gente nota estar se integrando mais”, comenta o uruguaio Oscar Luz. Acompanhado da colega Paola, Oscar conta estar em Passo Fundo pela primeira vez – e a experiência já começou com uma imersão intensa na cultura gaúcha. É que outro diferencial no formato do festival no país é a acolhida de “famílias hospedeiras”, que abrem as portas de casa para hospedar durante todos os dias do evento os casais bailarinos. “Está sendo ótimo, temos provado muitas comidas!”, brinca a bailarina. “Ficar em casa de família proporciona uma vivência muito real. É um encontro de culturas. Mesmo semelhantes, é muito enriquecedor”, complementa o colega.

Programação

A programação do Danzpare Brasil segue nesta terça-feira com uma integração dos países com os usuários da APAE de Passo Fundo, às 10h. Às 14h30 realizam uma apresentação na sede da Coleurb e às 15h30 no Ensino Médio Integrado. Já às 18h, a praça de alimentação do Bella Città Shopping será palco de um espetáculo com todos os países. De lá, os bailarinos seguem para o Departamento Tradicionalista do Simpasso para o último show do dia.

A quarta-feira, dia 18, começa com oficinas de danças e costumes gratuitas na Galeria Estação da Arte, das 8h30 às 11h30. Uruguai, Equador, Paraguai, Guatemala e El Salvador vão ensinar os tradicionais passos de danças típicas dos países de origem para o público. Às 19h, a cidade da Panambi recebe o Danzpare Brasil com um show para toda a comunidade com ingressos a R$15. O valor arrecadado será destinado à APAE de Panambi.

No sexto dia de evento (19), o Danzpare realiza um show com integração no Colégio Cristo Rei de Marau, a partir das 10h. Já às 21h, no salão Cristal do Clube Comercial, acontece o Jantar Show Baile, evento de gala do Festival. Este é o único momento em que o público que deseja participar paga ingresso (já disponíveis na secretaria da Baillar). Na sexta-feira, feriado de 20 de setembro, toda a equipe de voluntários, mais os bailarinos, desfilam no tradicional Desfile Farroupilha, às 8h30, na Avenida Sete de Setembro. Após, todos confraternizam na Granja da Família Baillar, num momento de integração entre todos os envolvidos.

O penúltimo dia de programação vai levar os bailarinos para o pequeno município de São Miguel das Missões, no Noroeste do Estado. A programação no local inclui uma visita ao Sítio Arqueológico de São Miguel Arcanjo, conjunto de ruínas da antiga redução de São Miguel Arcanjo, integrante dos chamados Sete Povos das Missões, e um dos principais vestígios do período das Missões Jesuíticas dos Guarani em todo o mundo. A programação encerra no domingo (22), com o dia todo dedicado a integração dos bailarinos com as famílias hospedeiras. À noite, às 19h, toda equipe se reúne para um jantar de despedida e balanço final da segunda edição.  

 

 

Gostou? Compartilhe