Na rota do desenvolvimento econômico

Com uma localização geograficamente estratégica, uma matriz econômica diversificada e bons índices de qualidade de vida, Passo Fundo alcançou a 30ª posição no ranking das 100 melhores cidades brasileiras para fazer negócios em 2017

Por
· 1 min de leitura
 Crédito:  Crédito:
Crédito:
Você prefere ouvir essa matéria?

Qualidade de vida, posição geograficamente estratégica, mão de obra qualificada, matriz econômica diversificada. A união dessas e de outras características fizeram Passo Fundo saltar 60 posições em dois anos no ranking das 100 melhores cidades brasileiras para fazer negócios – dentre as com mais de 100 mil habitantes. Da 90ª colocação, que ocupava em 2015, o município avançou para a 30ª em 2017. No Rio Grande do Sul, ocupa o 4º lugar, atrás apenas de Porto Alegre (3ª), Santa Cruz do Sul (23ª) e Bento Gonçalves (25ª).

O dado foi apresentado este mês pela Revista Exame, que divulga, com exclusividade, a pesquisa anual da Urban Systems, consultoria especializada que realiza a pesquisa levando em consideração 28 aspectos, como saúde, educação e desenvolvimento econômico, entre outros. Com a análise de cada um dos 28 indicadores medidos, a Urban Systems confere uma espécie de nota, sendo que o índice máximo a ser atingido é o potencial 27. No Brasil, o melhor potencial é de São Paulo, que chegou a 15,29. Passo Fundo, por sua vez, somou potencial 10,45.

 

Confira a reportagem completa aqui

 

Gostou? Compartilhe