Pesquisas desenvolvidas no UPF Parque são destaque estadual em inovação

E-book “Inovação em Ação”, da Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia (SICT) do RS, reconhece estudos realizados junto ao Parque Científico e Tecnológico da UPF sobre chá-mate e dispositivo de tratores e veículos agrícolas

Por
· 4 min de leitura
Ariana Maia e Clovis Roman, proprietários da Inovamate, com a estudante Lara (Foto: Divulgação/UPF)Ariana Maia e Clovis Roman, proprietários da Inovamate, com a estudante Lara (Foto: Divulgação/UPF)
Ariana Maia e Clovis Roman, proprietários da Inovamate, com a estudante Lara (Foto: Divulgação/UPF)
Você prefere ouvir essa matéria?

O intenso trabalho desenvolvido pelo Parque Científico e Tecnológico da Universidade de Passo Fundo (UPF Parque) com diversas empresas inovadoras e de base tecnológica evidenciam o potencial de inovação existente na Instituição. E essa integração entre Universidade e mercado de trabalho foi reconhecida pela Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia (SICT) do Rio Grande do Sul, que recentemente divulgou o e-book “Inovação em Ação”. A publicação reúne iniciativas das principais cadeias produtivas do Estado, dentre elas, duas realizadas em parceria com o UPF Parque.

Gestora do UPF Parque, a professora Dra. Teofanes Foresti Girardi destaca o reconhecimento da Secretaria do Estado pelas pesquisas desenvolvidas no Parque. Segundo ela, as universidades e seus parques tecnológicos são como molas propulsoras para empresas inovadoras, além de servirem de ferramenta para o desenvolvimento tecnológico, principalmente através da geração de conhecimento e novas tecnologias ou mesmo pelo suporte tecnológico à difusão de informação na sociedade.

“O UPF Parque estar presente em dois segmentos no e-book só reforça nosso papel estratégico de agregar valor aos modelos de negócio, e evidencia o potencial de inovação que há em nosso ambiente. São dois belos exemplos que certamente vão inspirar novas iniciativas que busquem soluções tecnológicas e inovadoras para a criação de produtos, processos e serviços cada vez mais competitivos e inovadores”, pontua.


Um novo jeito de consumir a erva-mate

Um dos projetos destacados pela SICT envolve a Inovamate, empresa familiar, que foi participante do sistema de incubação do UPF Parque e desenvolveu a Linha Infusão Brasileira - Chás Matequero. O objetivo foi tornar o chá-mate mais atrativo para o mercado brasileiro em outras regiões, apresentando a erva-mate de uma forma diferente.

Tendo em vista as amplas possibilidades de aproveitamento da planta e com o intuito de formular uma bebida diferenciada de erva-mate, a solução encontrada foi desenvolver blends de chás com erva-mate, misturando na composição frutas e especiarias, a fim de produzir sabores com produtos típicos de cada região. Desta forma, foram construídos cinco blends diferentes: Matequero Sul (que contém maçã, uva passa e canela), Matequero Sudeste (que contém café, cranberry e alcaçuz), Matequero Centro-Oeste (com buriti, abacaxi e gengibre), Matequero Norte (combinação de laranja, pimenta rosa e funcho) e Matequero Nordeste (com coco, nibs de cacau e anis estrelado).


Blends são benéficos à população

Os blends de chás Matequero possuem características químicas que trazem benefícios ao consumidor. Em análises realizadas em parceria com a UPF, foi observada a presença de ácido ferúlico e polifenóis totais, que possuem características antioxidantes que combatem os radicais livres e o envelhecimento da pele. O ácido clorogênico, outra substância encontrada, é útil no controle de glicose (e, portanto, no combate à diabetes) e para o emagrecimento, enquanto a teobromina e a cafeína, também presentes, são poderosos estimulantes.

A pesquisa realizada junto à UPF contou com a participação dos cursos de Engenharia de Alimentos, Engenharia Química, Nutrição e Farmácia. Proprietária da Inovamate, Ariana Maia relata o quão fundamental foi a parceria com a Universidade. “Através destes cursos, a UPF foi de suma importância para que a gente pudesse desenvolver nossos produtos e apresentar os seus diferenciais no mercado. Os chás a base de erva-mate desenvolvidos contaram com uma pesquisa extensa e uma grande revisão bibliográfica para que conseguíssemos entender quais seriam os ‘casamentos’ possíveis da erva-mate com outros ingredientes das cinco regiões brasileiras”, conta, mencionando que a empresa teve o apoio dos profissionais técnicos dos laboratórios, dos professores e alunos durante o trabalho realizado.


InLevel: equipamento auxilia produtores agrícolas em operações de plantio

A outra iniciativa que teve destaque no e-book “Inovação em Ação” é o dispositivo InLevel, desenvolvido com a empresa INEL e voltado para a área do agronegócio. A erosão nas lavouras e o baixo aproveitamento hídrico das chuvas, agravadas sobretudo após longos períodos de estiagem, levaram o professor Dr. Vilson Klein, do Programa de Pós-Graduação em Agronomia da UPF, a pesquisar mais sobre técnicas de plantio que pudessem ajudar o agricultor na preparação do solo e dos cultivos.

A pesquisa revelou um problema sério em nível de campo: com a evolução tecnológica das últimas décadas, as operações manuais foram sistematicamente substituídas por mecanizadas, ocasionando o abandono de práticas antes comuns, como a do plantio (semeadura) em nível. Nesse sentido, os pequenos agricultores careciam de uma tecnologia que facilitasse a aplicação da técnica com seu maquinário.

O estudo mostrou que o desenvolvimento de uma ferramenta auxiliar de indicação de nível seria útil. Então, com o apoio do UPF Parque, a ideia chegou até a empresa INEL, que era uma das incubadas naquele momento. O desafio foi o desenvolvimento de um equipamento autônomo de baixo custo que auxiliasse os pequenos e médios produtores em operações como o plantio em nível, terraceamento e subsolagem.

Assim, nasceu o InLevel, um dispositivo que pode ser facilmente acoplado ao painel de tratores e veículos agrícolas e que possui a finalidade de indicar para o operador a inclinação frontal do veículo. Sua utilização é bastante simples: uma vez instalado e calibrado pelo próprio operador, o painel do instrumento indica se o trator está posicionado em uma condição de aclive ou declive durante sua movimentação. Isto permite ao operador realizar a movimentação do veículo buscando sempre mantê-lo em nível, pois através dos sinais luminosos dos LEDs é possível corrigir a rota a cada grau de inclinação, sempre que necessário.


Saiba mais

Conheça mais sobre as iniciativas desenvolvidas acessando o e-book “Inovação em Ação”.


*Com informações do e-book “Inovação em Ação”.

Gostou? Compartilhe