OPINIÃO

O segundo passo-fundense na UAPPL – Parte 1

Por
· 3 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Dois jovens passo-fundenses, para surpresa de uns e indignação de outros, foram, no auge da Guerra Fria, nos anos 1960, estudar na União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Integraram os quadros da então recém-criada Universidade da Amizade dos Povos Patrice Lumumba (UAPPL), em Moscou. O primeiro foi Paulo Ernani Rezende de Rezende, que se formou em Medicina, em 1967, e foi tema desse espaço nas duas últimas sextas-feiras. E o segundo passo-fundense na UAPPL foi Ney Eduardo Possapp d`Avila, cuja trajetória nos ocuparemos a partir de hoje.

Ney Eduardo Possapp d`Avila nasceu no dia 25 de fevereiro de 1941. Era uma terça-feira de carnaval. O local, a residência da família, na Rua Morom, quase esquina com a Rua Fagundes dos Reis. Filho de Narciso Vieira d`Avila, de ascendência árabe e natural de André da Rocha, e Olinda De Bona Possapp, descendente de italianos, nascida em Caxias do Sul.

A formação educacional de Ney d`Avila, pré-universitária, foi em escolas confessionais católicas. Iniciou na Escola Menino Jesus, passou para o Colégio Conceição, educandário no qual fez primário, ginásio, parte do colegial e parte do Curso Técnico em Contabilidade. Nessa fase, anos 1950, Ney d`Avila militou no movimento estudantil local. Entre 1954 e 1958, cerrou as fileiras da União Democrática Nacional (a lacerdista UDN). Ocupou os cargos de vice-presidente do Grêmio Estudantil do Colégio Conceição, vice-presidente da União Passo-Fundense de Estudantes (UPE), dirigente diocesano da Juventude Estudantil Católica (JEC), redator do jornal da UPE e diretor do jornal O Aliança (circulava no Conceição, Notre Dame e Bom Conselho). Prestou serviço militar no I/20 RC e, em1961, foi eleito vice-presidente da União Gaúcha dos Estudantes Secundaristas (UGES) e foi para Porto Alegre, onde assumiu a presidência da Comissão Pró-Casa do Estudante Secundarista do RS e concluiu o curso de Técnico em Contabilidade no Rosário, escola da rede Marista. Deu inicio à obra da Casa da UGES, prédio localizado na Av. Ipiranga, 310, que, em 1990, teve a doação patrimonial revertida à Prefeitura de Porto Alegre, e, após reforma, passou a abrigar a sede da Fundação de Assistência Social e Cidadania.

Em Porto Alegre, Ney d`Avila, após atuar como vendedor de máquinas de escrever e de linhas telefônicas, ingressou no curso de Economia da UFRGS. Então, começo a militância no Diretório Acadêmico, na Juventude Universitária Católica (JUC) e na Ação Popular (AP). Sobreveio o Golpe Militar de 1º de abril de 1964, a situação ficou temerária para alguém fichado como subversivo, e Ney d`Avila abandonou a Universidade e resolveu sair do Brasil.

E foi assim que, em 1965, Ney Eduardo Possapp d`Avila chegou a Moscou para estudar na UAPPL. Depois da aprendizagem do idioma russo, cursou Planificação da Economia Nacional, entre 1965 e 1971, período que foi secretário da União dos Estudantes Brasileiros na URSS e redator do jornal O Papagaio. Cumprida a fase de estudante na UAPPL, deixou a URSS e passou por vários países da Europa (Suécia, França e Portugal), da Ásia e da África, exercendo atividades que variaram desde auxiliar de cozinha a garçom, operário na construção civil e na agricultura, além de tradutor e professor de russo e português para estrangeiros (especialmente em Portugal, onde viveu entre 1974 e 1982).

Após a Lei da Anistia, sancionada em 1979, Ney d´Avila voltou ao Brasil, para visitas, e em definitivo a partir de 1982. Iniciou nova fase na vida. Passou a trabalhar no setor imobiliário, no empreendimento familiar do loteamento do Bairro São Luiz Gonzaga, e residir numa chácara incrustada no coração da vila, na Avenida Caravelle, 456. Em 1985 ingressou no curso de História da UPF, onde concluiu licenciatura em 1988. Fez mestrado pela UFSC, defendendo a dissertação “O Historiador Passo-fundense Antonino Xavier”, em 1993. Nascia o professor Ney d´Avila, que teve passagem como professor pela UPF, UFSC, UNIVALE/SC e UERGS (onde também foi diretor de Unidade e coordenador regional), e o historiador de escol e autor original de livros sobre Passo Fundo. (...continua na próxima sexta-feira.)

Gostou? Compartilhe