OPINIÃO

E. Zanette editor

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A intenção, em 2005, era apenas a divulgação de fotografias antigas de Passo Fundo. Depois vieram textos escritos por autores locais e, em 2010, começou a impressão de livros. É assim, meio sem querer querendo, que Ernesto Zanette, o curador do Projeto Passo Fundo Apoio à Cultura, resume a história dessa monumental iniciativa em prol da cultura e das letras locais, que, até a data de hoje (09/10/2020), atingiu a marca de 550 obras publicadas pelo seu selo editorial.

Ernesto Zanette e um grupo de aficionados por literatura, a partir de 2005, passaram a se reunir, aos sábados pela manhã, nos cafés do centro da cidade. A iniciativa foi angariando adeptos à causa. Surgiu a ideia da publicação de livros. Zanette imaginou a formação de um fundo para financiar a impressão de obras dos autores locais sem acesso a editoras. Elaborou as normas e, com peculiar discrição, foi à luta para viabilizar a publicação do primeiro livro do magistral catálogo que, desde então, vem construindo com esmero de ourives.

O livro “Conversas entre educadoras: do dia-a-dia à utopia”, da passo-fundense Eliane Thaines Bodah, na época já radicada nos EUA, marcou o início, em 2010, dos livros chancelados pelo Projeto Passo Fundo Apoio à Cultura. Essa obra faz parte do grupo formado pelos primeiros 14 livros que saíram com o selo do projeto e o ISBN da Gráfica Editora Berthier. Havia uma demanda reprimida para a publicação de obras de autores locais. A procura cresceu. Zanette criou um CNPJ para o Projeto Passo Fundo Apoio à Cultura e fez registro do ISBN junto Fundação Biblioteca Nacional (FBN), que ficou vigente até dezembro de 2019. Em 2020, com a mudança da Agência Brasileira do ISBN para a Câmara Brasileira do Livro (CBL), Zanette encerrou essa incumbência de registro de ISBN em apoio aos autores locais. Mas, não os deixou desamparados, pois firmou parceria com a nova editora Acervus, que ficou encarregada de, a partir de então, prestar esse serviço aos escritores de Passo Fundo.

O portal na Internet (http://projetopassofundo.com.br/) e o catálogo de publicações são repositórios de documentação literária, histórica e iconográfica de Passo Fundo, que, apesar de “invisível” (ou quase para ser honesto) aos olhos do universo acadêmico e do poder público local, são parte dos grandes feitos culturais de Passo Fundo no século XXI.

Nunca é demasiado rememorar que, em 15 anos de existência (2005-2020) e 10 anos publicando obras (a partir de 2010), foi construído o portal e o catálogo de 550 títulos. Nesses, são 210 livros inéditos impressos e 340 eBooks. Parece pouco? Analise e pense quão poucas editoras foram capazes de atingir essa marca e rendamos os nossos respeitos ao Projeto Passo Fundo Apoio à Cultura e, em especial, a Ernesto Zanette. A Academia Passo-Fundense de Letras, em reconhecimento ao trabalho de Ernesto Zanette em prol da cultura local, concedeu-lhe, em 2012, a principal honraria da instituição: a Comenda Mérito Cultural Sante Uberto Barbieri.

Após a consolidação do portal e do catálogo de publicações, o foco, atualmente, está no desenvolvimento de ferramentas para facilitar a pesquisa e a busca de informações pelos internautas. Em destaque, o trabalho de digitalização e disponibilização de acervos online, públicos ou privados, catalogando bibliotecas de obras raras. E o sonho confesso de Ernesto Zanette, que é produzir um livro com os escritos do médico e político local Nicolau de Araújo Vergueiro.

Ernesto Zanette, o técnico em contabilidade e corretor de imóveis aposentado, no seu modo de viver e fazer cultura, leva à risca a tese defendida por Jorge Herralde, o fundador da Anagrama, uma importante casa editorial espanhola, que defendia que a melhor biografia de um editor é o seu catálogo de publicações. A melhor biografia do editor E. Zanette é o Projeto Passo Fundo Apoio à Cultura! Sempre que você ver, na capa de um livro ou numa página da Internet, aquele selo com a cuia estilizada e a denominação Projeto Passo Fundo Apoio à Cultura, não se esqueça de render a sua homenagem a Ernesto Zanette.

Gostou? Compartilhe