OPINIÃO

Idese tem sensível melhora

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

O Índice de Desenvolvimento Socioeconômico (Idese) de Passo Fundo teve sensível melhora em 2018, comparado aos dois anos anteriores. O índice passou de 0.767, em 2016, para 0.779, em 2017 e chegou a 0.782. Com isso, Passo Fundo está na posição 156 no Estado. O estudo, promovido pela Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão, por meio do Departamento de Economia e Estatística, apontou crescimento nos indicadores gerais do Estado e os que compõe os blocos de Educação, Renda e Saúde.

Se analisar os dados de cada bloco, a Saúde teve o melhor desempenho: saiu de 0.828 em 2016, para 0.829 em 2017 e alcançou o índice de 0.837. No quesito renda, houve uma pequena redução no indicador chegando a 0.785 em 2018. A educação teve a maior evolução no indicador passando de 0.693, em 2016, para 0.725 em 2018.

O Idese mede o grau de desenvolvimento dos municípios gaúchos, a partir de aspectos quantitativos e qualitativos quanto ao desenvolvimento nestas três áreas citadas. Sua divulgação incluiu também os indicadores por Coredes, Microrregiões do IBGE, Regiões de Saúde, Educação etc.


Reinvenção e economia

O vereador Saul Spinelli, PSB, tinha muitos projetos como presidente da Câmara de Vereadores neste ano de 2020. Um deles, levar o Legislativo para as vilas e bairros da cidade em sessões presenciais e mais próximas da comunidade. Mas, a Pandemia do Coronavírus impôs uma mudança de planos. Ao invés de aproximar, a ordem foi manter o distanciamento social. Foi preciso se reinventar rapidamente e, por isso, a Câmara de Passo Fundo foi uma das primeiras a realizar sessões virtuais. Foram 39 sessões plenárias online, aprovados mais de 50 projetos e viabilizadas R$ 3,5 milhões emendas impositivas, destinadas para auxiliar financeiramente os hospitais. Alem disso, a Câmara viabilizou os convênios entre Prefeitura e cursos de Medicina da UPF e IMED para o enfrentamento da pandemia. Nesta quinta-feira, quando encerra a gestão, Spinelli vai anunciar a devolução de R$ 6,7 milhões ao Executivo, economia gerada no orçamento que coube ao Legislativo neste ano, na ordem de R$ 23,9 milhões.


Extremos

Encerrada a prestação de contas dos candidatos eleitos para a Câmara de Vereadores de Passo Fundo, dois deles chamam a atenção pelos extremos: o maior e o menor gasto na campanha eleitoral deste ano. O campeão de gastos foi o vereador mais votado, Rodinei Candeia, PSL, que declarou uma despesa de R$ 86,3 mil. Ele recebeu um valor de R$ 90 mil do fundo eleitoral. Já o vereador Gio Krug, PSD, que recebeu R$ 1,5 mil entre doações e partido, fez a campanha mais econômica, gastando apenas R$ 740. A média de gastos dos demais vereadores variou de R$ 5 mil a quase R$ 20 mil. Dados completos no divulgacandcontas.tse.jus.br.


Recursos

O prefeito Luciano Azevedo garante que vai entregar recursos em caixa para o próximo prefeito Pedro Almeida. Orçamento que seguirá controlado por Dorlei Maffi, nos próximos anos.


Síntese

No programa Sem Segredo da Rádio Uirapuru, no último sábado, Luciano disse que ao fazer o discurso de despedida dos oito anos do mandato, percebeu que escreveu muito e que, por óbvio, que se despede fala menos de quem assume. Precisou incorporar o jornalista que também é para usar do poder de síntese e dizer tudo o que quer, em menos tempo. A conferir na sexta-feira.


O que dizer de 2020

Um ano para ficar na história e ser lembrado sempre. Um ano em que as pessoas revelaram o seu pior e o seu melhor.


O que esperar de 2021

Vacina! Contra o coronavírus e contra a ignorância.

Gostou? Compartilhe