OPINIÃO

Reminiscências: Moacyr Scliar em Getúlio Vargas

Por
· 5 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Os dez anos do falecimento de Moacyr Scliar, ocorrido no dia 27 de fevereiro de 2011, e seu legado, foram rememorados no último final de semana em pelo menos três jornais editados em Porto Alegre. Dentre os contemporâneos do escritor, o depoimento da amiga e professora Regina Zilberman, do Instituto de Letras da UFRGS: “A lucidez do Moacyr é nítida e faz muita falta”. A herança literária deixada pelo médico e escritor ultrapassa uma centena de obras entre romances, contos, ensaios, ficção infanto-juvenis, e crônicas. A leitura das páginas dedicadas ao autor de A guerra do Bom Fim, O exército de um homem só, O ciclo das águas, Mês de cães danados, O Centauro no jardim, Os voluntários, Max e os felinos, Os vendilhões do templo, e ainda de outros doze romances, avivou a lembrança de sua curta estada em Getúlio Vargas para a 3ª Feira do Livro.

 

 II - O ano era 1999 e o município de Getúlio Vargas se preparava para celebrar seu 65º aniversário. E também para a quarta edição da Expoincar - Exposição Industrial, Comercial e Agropecuária Regional, para o início de novembro. No segundo semestre o movimento na Biblioteca Pública Municipal, instalada no edifício da antiga Caixa Econômica Estadual, era intenso. A procura pelas obras dos autores convidados para a Feira do Livro que aconteceria entre os dias 27 e 29 de outubro, elevou a estatística de empréstimos. Na varanda, livro de poesias de Lisolete Farias Stawinski seria lançado no evento literário. De igual modo, Uma canção para os últimos, de autoria do jovem Eduardo Cabeda, com prefácio de Amílcar Fernando Morsch. Como nas anteriores a edição de 1999, também seria realizada no Calçadão da Praça Flores da Cunha. As sessões de autógrafo e o encontro com os escritores no cinema junto ao logradouro.

 

III - Na manhã de quarta-feira, a primeira do certame, o Calçadão foi tomado por turmas de estudantes de educandários locais e das cidades vizinhas. E foi neste cenário, com os livros no centro das atenções, que o escritor Moacyr Scliar foi recebido na Praça Flores da Cunha. Na 45ª Feira do Livro de Porto Alegre, que fora aberta na mesma semana, e na local, Scliar lançou A mulher que escreveu a Bíblia, seu 14ª romance. As horas que antecederam a abertura oficial, programada para o início da noite, no Cine Teatro Vera Cruz, o ilustre convidado conheceu a cidade. Na redação do jornal local, foi recebido por este escriba para uma aprazível conversa. O registro do encontro foi feito nas páginas nove e dez da edição que circulou na sexta-feira.

 

 IV - Filho de José e Sara Scliar, Judeus oriundos da Bessarábia, então pertencente ao Império Russo, Moacyr Jaime Scliar nasceu em Porto Alegre em 23 de março de 1937. O fato de ter vivido parte da infância na cidade de Passo Fundo, aonde frequentou a Escola Notre Dame, contribuiu para que o diálogo fluísse. Recordou das inúmeras vezes que esteve em Erebango e Quatro Irmãos, na companhia dos pais para visitar familiares. Não por acaso, demonstrou profundo conhecimento do processo de colonização da região Norte do RS, e do papel desempenhado pela Jewish Colonization Association (JCA). Destacou a importância que as histórias contadas pelos pais e do estímulo a leitura tiveram na sua vida. Moacyr Scliar comentou sobre o entusiasmo em que escreveu Histórias de um Médico em formação, seu primeiro livro, mas que não permitiu uma segunda edição. Admitiu que O Carnaval dos animais fora o marco na sua carreira. E ainda, que considerava O centauro no jardim, sua obra preferida.

 

 V - Sobre não ter aceitado até então o convite para se candidatar a uma cadeira da Academia Brasileira de Letras, respondeu que lhe faltava entusiasmo. Acabou voltando atrás, e em 31 de julho de 2003 seria eleito para a Cadeira nº 31 da Casa de Machado de Assis. No inicio da noite, foi recebido pela comissão organizadora da feira e falou para o público que tomou o cinema local. Além do seu trabalho, Moacyr Scliar tratou do momento literário vivido naquele penúltimo ano do século XX. Após a sessão de autógrafo, visitou a Biblioteca Pública e o Instituto Histórico na companhia da professora Iones Romanowski, titular da Secretaria de Educação e equipe. Não menos agradável foi à conversa havida em plena Av. Borges de Medeiros na a espera do carro do gabinete do prefeito Darci José Peruzzolo, para a viagem de retorno a capital do Estado.

Curtas:

 

# Três projetos do executivo sertanense entraram na pauta da primeira sessão ordinária do legislativo ocorrida na noite de segunda-feira (1º).

# Na sessão presidida pelo vereador Paulo Vicente Orso (MDB), foi apresentado nada menos do que 27 indicações de vereadores ao governo municipal.

# A grande maioria das indicações, mecanismo que visa atender as demandas da população, as relativas obras nas vias públicas da cidade e interior.

# Ontem à noite os vereadores da Câmara de Getúlio Vargas aprovaram três projetos de lei enviados pelo governo Soligo/Pasa.

# O de número 032/2021, autoriza o governo local a firmar convênio de cooperação com os municípios de Estação, Erebango, Ipiranga do Sul, Floriano Peixoto, Sertão e Charrua, para a gestão associada de serviços públicos.

# Também foi aprovado o pedido da vereadora Inês Aparecida Borba (MDB) para que a municipalidade recoloque os brinquedos na pracinha localizada nas proximidades do Centro Integrado Renascer.

# De igual modo à indicação do Vereador Dinarte Afonso Tagliari Farias (PP) para que a Empresa Gaúcha de Rodovias realize a limpeza no trevo sul da RS-135, saída para Passo Fundo.

# Os prefeitos Geverson Zimmermann (PSDB) e Valmor Tomelero (MDB), de Estação e Erebango, respectivamente, cumpriram extensa agenda na Capital Federal.

# Na Câmara e no Senado, o prefeito de Estação conversou com parlamentares da bancada gaúcha com objetivo de estreitar as relações e alavancar recursos para projetos em diferentes áreas.

# O prefeito de Erebango, que viajou na companhia de Marcelo Zancanaro, assessor de projetos e convênios, foi recebido no Ministério do Desenvolvimento Regional.

# No retorno ao município, Tomelero relatou que está em curso o preenchimento do Plano de Ações Articuladas, passo inicial para as obras de ampliação da Escola 11 de Abril ou mesmo um novo colégio, pré-requisito para a implantação do turno inverso.

# E ainda, projeto na área da habitação, considerada uma das principais reivindicações da comunidade erebanguense.

Dito & Feito:

Na manhã de ontem (4) o prefeito municipal de Erechim, Paulo Polis (MDB), protocolou na Câmara de Vereadores um projeto de lei que pede autorização para compra de vacinas lastreado na hipótese de insuficiência de recursos prestados pelos entes federados.

 

Gostou? Compartilhe