OPINIÃO

Suíte

Por
· 4 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

O termo, utilizado nas redações dos jornais, indica o desdobramento de um fato ou assunto pautado na edição anterior. O Cine Teatro Vera Cruz foi o tema da coluna passada. Como a quase totalidade dos cinemas do interior, o de Getúlio Vargas viveu seu apogeu entre as décadas de quarenta e noventa do século passado e por motivos diversos, também fechou suas portas. Para não fugir da regra a sala de espetáculos do histórico prédio, com fachada em Art Decó, localizado em frente à Praça Flores da Cunha, abriga um templo religioso. As inúmeras manifestações acerca das abordagens feitas por este escriba, revelam quão vivo aquele outrora espaço de cultura está na memória. O assunto também rendeu a visita do ex-gerente do cinema local na tarde de segunda-feira (29). A conversa de mais de uma hora acabou provocando esta suíte.

II - Para reproduzir as histórias contadas por Antônio Arnaldo Bianchi, seriam necessárias inúmeras páginas de jornal. Desde a aposentadoria, tem se dedicado a fotografia. Além de garimpar preciosidades que remontam a colonização da região, iniciada a mais de um século, o ex-serventuário da receita estadual tem identificados a quase totalidade dos retratos do seu acervo. Mas quando o assunto é o Cine Teatro Vera Cruz, seus olhos brilham e as histórias vêm à baila. Manter a ordem durante a exibição dos filmes nem sempre era fácil, recorda. Havia os piadistas, figurinhas tarimbadas, que arriscavam serem postos para fora, do que perderem a oportunidade. Certa feita algum gaiato resolveu soltar bolinha de gude pelo assoalho, mas foi imediatamente identificado pelo lanterninha. E o que dizer de um assíduo frequentador, que não raras vezes, ia reclamar que não haviam gostado do filme.

III - Certa feita o seu Bianchi, como sempre foi chamado, ouviu durante uma rodada de dominó no Café Avenida, que chegaria o dia, em que os filmes poderiam ser vistos em casa. O que pareceu mais uma lorota se confirmou com o advento do videocassete, há muito peça de museu. A rua do cinema era a mais movimentada. Além do Café Avenida, na esquina com a Av. Borges de Medeiros, havia outro Café, palco do programa radiofônico Oh de Casa, ainda na grade da programação da Rádio Sideral, que então tinha seus estúdios nos altos do Cine Teatro. Entre as portas do cinema estavam instaladas a Lotérica e Tabacaria Testa e o Bar Meu Cantinho. Na mesma quadra a Associação Comercial e no térreo, onde outrora havia a agência do Banco do Brasil, a loja Mundo Elegante. Até a construção do Calçadão, o ponto de taxi atendia em frente à praça. O fechamento do cinema não comprometeu o charme do logradouro que acabou sendo substituído pela Av. Severiano de Almeida, que concentra os bares, restaurantes e pizzarias da cidade.

 

CURTAS

# O sinal de alerta foi dado na tarde de terça-feira (30) pelo diretor executivo da Fundação Hospitalar Santa Terezinha de Erechim.

# Em entrevista exclusiva para o Atmosfera Online, Rafael Ayub, diretor executivo do Santa Terezinha, revelou que o kit intubação estava prestes a acabar.

# A situação enfrentada pela casa de saúde da maior cidade do Alto Uruguai ocorre em tantas outras do RS.

# Das 400 ampolas de uma determinada medicação recebidas do Estado no inicio da semana, e utilizados em pacientes com a Covid-19, atende a demanda de apenas um dia.

# O gestor endossou a informação de colegas de outros hospitais, que nas duas últimas semanas as empresas não estão mais vendendo a quantidade solicitada pelos hospitais.

# Ele afirmou que o kit intubação é formado por cinco ou seis itens, necessários para anestesiar os pacientes submetidos aos procedimentos necessários.

# Outro dado estarrecedor, e que deve alertar ainda mais para que todas as medidas protetivas sejam realizadas, é em relação à falta de oxigênio.

# Antes da pandemia o Santa Terezinha utilizava 900m³ de oxigênio a cada mês, e agora 300m³ por dia, uma média de 9.000m³/mês.

# Em função do feriado de Sexta-feira Santa, o legislativo de Getúlio Vargas não irá realizar sua sessão ordinária nesta semana, retomando os trabalhos no dia 08 de abril.

# Já na Câmara de Vereadores de Sertão a sessão realizada na noite de segunda-feira (29) foi aprovado o projeto do executivo que reestrutura o Conselho Municipal de Acompanhamento e Controle Social do Fundeb.

# E ainda, oito indicações e dois pedidos de providências ao executivo feitas individualmente ou em blocos pelos vereadores.

# Desde a abertura do ano legislativo foram feitas 61 indicações ao executivo, em sua maioria para obras diversas e limpezas na cidade e interior do município.

# Em Erebango, os beneficiários do programa de cestas básicas receberam sacolas ecológicas como estímulo a conscientização e cuidados com o meio ambiente.

# A iniciativa é da Secretaria Municipal de Assistência Social, capitaneada por Claura Araldi, o que deve estimular diferentes setores da sociedade erebanguense a abraçar a causa.

 

Dito & Feito:

 

Em assembleia realizada de forma digital os associados Creral elegeram por unanimidade a chapa composta pelo atual presidente, João Alderi do Prado, vice-presidente Umberto Toazza e secretário Edílson Guzzo, por um período de mais quatro anos. Com sede em Erechim, a Creral distribui energia para 7.600 associados em 1840 km de redes nas regiões Alto Uruguai, Altos da Serra e Produção, têm cinco PCHs e uma termelétrica em operação, já está preparada para novos projetos nas áreas de geração de energia solar e eólica. Desde 2014 atua na área de telecom com serviço de internet por meio de fibra óptica.

 

Gostou? Compartilhe