OPINIÃO

Tecnologia para morar com conforto, segurança e praticidade

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Muito antes de termos o acesso que temos hoje à tecnologia, muitos teóricos e até mesmo a ficção já previam a nossa relação com as máquinas. Quem não lembra dos Jetsons, desenho animado sobre uma família futurista que utilizava carros voadores como meio de transporte e um robô para a realização das tarefas domésticas? Exibido pela primeira vez na década de 60, o desenho já dava spoilers, ainda que um pouco exagerados, de como seria o cotidiano das famílias com o uso da tecnologia. Mesmo sem um carro voador estacionado na garagem ou um caricato robô atendendo aos nossos comandos, já é possível desfrutar de uma casa bem mais tecnológica, seja pelo consumo de novos aparelhos ou pela aquisição de imóveis em empreendimentos já automatizados.

Anos atrás, a teoria de Marshall McLuhan, sobre a tecnologia como uma extensão do homem, provavelmente não faria tanto sentido quanto faz hoje, afinal, assim como as máquinas foram se modernizando, nosso relacionamento com elas também foi ficando cada vez mais estreito. Câmeras de monitoramento fazem as vezes de nossos olhos, enquanto carros são tão importantes para a locomoção quanto nossas próprias pernas. Parece exagero, mas estamos cada vez mais ligados à tecnologia e dependentes das facilidades que ela nos proporciona. Para sair de casa já não é necessário, por exemplo, carregar consigo carteira, chave de casa e chave do carro. Com acessos por biometria ou QR Code e a possibilidade de pagar qualquer coisa por aplicativo, sair de casa apenas com o smartphone já é mais do que suficiente.

Se a tecnologia está tão intrínseca em nossas vidas, ela consequentemente está dentro de nossas casas. Por isso é tão crescente o número de lançamentos de prédios inteligentes, que desde sua concepção exploram ao máximo as opções tecnológicas existentes no mercado para oferecer maior conforto, segurança e praticidade aos seus moradores. Morando em um prédio inteligente é possível executar uma infinidade de ações por comandos de voz ou aplicativos, seja em ambientes privativos ou nas áreas de uso comum.

Aqui em Passo Fundo, inclusive, encontramos ótimas opções destes empreendimentos, onde é possível controlar e customizar quase tudo, desde iluminação, climatização e sonorização, até outras ações mais simples como o acendimento da churrasqueira, por exemplo, tudo por telas touch, aplicativos ou assistentes virtuais como Alexa ou Google Home.

Para entender melhor o quão úteis podem ser essas funcionalidades, basta se imaginar chegando em casa em um dia de calor intenso com o seu apartamento esperando na temperatura ideal porque você decidiu ligar o ar condicionado antes de sair do trabalho, através do seu celular. Imagine fornecer acesso às suas visitas, fazer a reserva do salão de festas, conferir a disponibilidade da academia, solicitar manutenções, tudo por meio de um aplicativo do próprio condomínio. Quem sabe pedir o seu jantar e ter a possibilidade de recebê-lo em um locker privativo, que mantém a comida aquecida até a sua retirada na recepção ou então poder receber encomendas por drone, em poucos minutos. Por que não? Uma possibilidade que além de já estar sendo testada aqui na região, também está prevista nos empreendimentos mais recentes, já projetados com drone-ports, espaços específicos para o pouso de drones.

Muito daquilo que foi imaginado há algum tempo atrás já é uma realidade em nosso cotidiano e outras soluções tecnológicas já estão entrando no radar das construtoras. Se por um lado não temos carros voadores como esperavam os roteiristas dos Jetsons, podemos enxergar a tecnologia com bons olhos, já que a grande maioria dos esforços têm sido dedicados para nosso bem-estar.

 

Gostou? Compartilhe