OPINIÃO

Memórias para lá de relevantes

Por
· 5 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A utilização política das mentiras remonta a antiguidade, mas nunca como agora, graças às redes sociais, esta prática foi tão disseminada. Os dividendos das notícias falsas na internet continuam sendo capitalizados, mas grande parte de seus usuários já adotam filtros diversos, dentre os quais o bom senso. E em meio às postagens que ocorrem em profusão a cada instante, parte delas é de um conteúdo inestimável para a informação e cultura. Nesta semana o Instituto Cultural Judaico Marc Chagall, publicou na sua página do Facebook a sinopse da entrevista com Mendel Moguilnilk, disponível no acervo de História Oral da instituição com sede em Porto Alegre. De origem lituana e nascido no dia 06 de fevereiro de 1907, Mendel (Manoel) foi um dos tantos imigrantes que se fixaram no norte do RS. De acordo com a entrevista concedida ao projeto de memória oral do Instituto Cultural Judaico Marc Chagal, ele tinha 20 anos quando chegou à localidade de Baronesa Clara, atual Comunidade do Chalé, interior do hoje município de Erebango.

 

II - Fundado no ano de 1985 o ICJMC vai completar 36 anos no dia 25 de novembro. Associação sem fins lucrativos, a iniciativa de sua criação foi de um grupo de intelectuais e empresários judeus com o objetivo de divulgar a cultura judaica. A diretoria para o biênio 2021 - 2022 têm como presidente Rafael Bán Jacobsen. Conta com um riquíssimo acervo fotográfico e documental preservado no Arquivo Histórico e no Museu da instituição, instalada no número 329 da Rua General João Teles, no Bairro Bom Fim. Mendel tinha 81 anos quando concedeu sua entrevista, que recebeu o número 182, e como as demais estão à disposição para consulta. Nela, relatou que junto com outros jovens iniciou o grupo Macabi que tinha como intuito reunir a juventude judaica em torno de atividades sociais, culturais e esportivas. E, que no auge de suas atividades, o grupo contava com aproximadamente 40 membros. E também, que de dia eles ajudavam na lida do campo e à noite se juntavam para fazer teatros, palestras e ouvir a orquestra que organizaram.

 

 III - A postagem com a síntese da entrevista é ilustrada com uma fotografia datada de 1928 e que imortalizou a imagem de parte dos integrantes do grupo cultural de Baronesa Clara, uma das agrovilas da ICA - Jewish Colonization Association, que promoveu a colonização e a exploração econômica da Fazenda Quatro Irmãos entre o ano de 1909, quando da aquisição, e 1962, ano do encerramento do projeto. No alto de seus 81 anos de vida, Mendel afirmou aos historiadores do ICJMC: “Vivíamos bem! Se você falar com alguém que morava lá naquele tempo, [a pessoa] também vai achar que era o melhor tempo que tínhamos. Verdade que nos faltava tudo, mas estou dizendo que tínhamos um par de sapatos, um terno e uma camisa, e aí já estava bom.”. A presença judaica na região foi o tema do Ciclo de Debates - Capítulos da História de Passo Fundo deste mês de agosto, que está sendo promovido pelo curso de História e pelo programa de pós-graduação em História da UPF.

 

IV - A profusão de etnias atraídas no inicio do século passado pelas companhias de colonização privada e pública, merece um estudo. Mas é crível que ultrapasse a duas dezenas, e a marca de suas culturas - polonesa, italiana, judaica, ucraniana, alemã, portuguesa, espanhola, austríaca, russa, francesa, húngara..., ainda está bem presente nos 32 municípios que compõe a Amau. A riqueza histórica e cultural de cada uma das comunidades que se formaram as margens da estrada de ferro a contar de 1906, entre Passo Fundo e a Estação Marcelino Ramos, tem sido graças as universidades e seus cursos da área de humanas, revelada em profusão. O mesmo com as demais espalhadas no território que já foi chamado de Sertão do Alto Uruguai. Quantos dos nascidos nestas paragens, nos pouco mais de 110 anos se notabilizaram nos seus ofícios e profissões? Que contribuições deram, e continuam dando? A provocação objetiva reflexões e questionamentos. O passo inicial é buscar a trajetória da própria família, através da memória oral, fotografias, objetos e documentos.

Curtas:

# Treze projetos do executivo entraram na pauta da sessão da Câmara de Vereadores de Getúlio Vargas, ocorrida na noite de quinta-feira (26).

# De igual modo dois pedidos de providências, um deles, de autoria da vereadora Inês Aparecida Borba (MDB), para que a administração municipal realize limpeza nas dependências do antigo Sesi e serviço de vigilância.

# Uma única indicação, assinada pelo vereador Thiago Blasczak Borgmann, sugere ao executivo a criação de um curso preparatório para o Exame Nacional do Ensino Médio através de parceria com instituição de ensino e profissionais nas áreas de licenciatura.

# A frente do governo do município polo do Alto Uruguai, o MDB de Erechim inova ao criar um novo núcleo partidário.

# Trata-se do MDB Diversidade e Inclusão, inspirado, segundo a assessoria de imprensa, nas raízes do partido que nasceu da mobilização popular e serviu de abrigo para distintas vozes que compartilhavam objetivos em comum.

# A missão do núcleo é a luta pelo direito à inclusão, igualdade, respeito e construção de políticas públicas que correspondam às deficiências existentes na sociedade.

# O MDB Diversidade e Inclusão de Erechim é presidido pela psicóloga Monique Milkiewicz Rosset, e pautado pelo diálogo e de troca, e do acolhimento de todas as formas de ser, saber e fazer, tendo como norte uma sociedade diversa e inclusiva.

# A mobilização organizada pela prefeitura de Getúlio Vargas, Sindicato Rural, Sutraf e Comissão de Produtores de Mato Preto reuniu um grande número de produtores e liderança na segunda-feira (23), no trevo sul da RS-135.

# O movimento buscou chamar a atenção à votação do STF, que tratará do artigo 231 da Constituição, responsável por fixar o marco temporal a fim de identificar e demarcar áreas indígenas.

# Para o prefeito Maurício Soligo (PP), uma eventual retirada do marco reafirmada nas condicionantes da demarcação da terra indígena Raposa Serra do Sol, pode provocar insegurança jurídica em todo o território nacional.

# O prefeito de Getúlio Vargas alerta que a retirada do marco temporal, que não entrou na pauta do STF na quarta-feira (25), conforme estava programado, terá reflexos para a região do Alto Uruguai.

# Além do prefeito anfitrião compareceram os prefeitos Valmor Tomelero (MDB) e Paulo Polis (MDB), de Erebango e Erechim, respectivamente, municípios que possuem área nos 4.230 hectares da região de Mato Preto.

# No total a área de 4.230 hectares, apontada por laudo da Funai como indígena e que tramita na Justiça desde 2003, abrange cerca de 370 propriedades de pequenos produtores rurais, devidamente escrituradas.

Dito & Feito:

Estado começa a recuperação da RSC-480 entre Erval Grande e a divisa com SC, num trecho de 21,63 quilômetros. 



Gostou? Compartilhe