Campanha Março Marinho alerta para a prevenção do câncer colorretal

A grande maioria dos casos de câncer de intestino é evitável

Por
· 2 min de leitura
Dr. Miguel Duda Schmitz é coloproctologista e atua no Hospital de Clínicas de Passo FundoDr. Miguel Duda Schmitz é coloproctologista e atua no Hospital de Clínicas de Passo Fundo
Dr. Miguel Duda Schmitz é coloproctologista e atua no Hospital de Clínicas de Passo Fundo
Você prefere ouvir essa matéria?

A campanha Março Marinho, que esclarece sobre os meios de prevenção e tratamento do câncer colorretal, vem ganhando visibilidade em todo Brasil, assim como as campanhas Outubro Rosa e Novembro Azul, que orientam sobre a prevenção do câncer de mama e câncer de próstata, respectivamente. “O câncer colorretal é resultado de uma interação entre fatores genéticos e exposição ambiental. Isto é, ele pode acontecer em pessoas com uma susceptibilidade genética que tem exposição aos seguintes fatores de risco: sedentarismo, dieta pobre em fibras, consumo de carne vermelha e processada, tabagismo e obesidade.” explica o médico coloproctologista do Hospital de Clínicas (HC) de Passo Fundo, Dr. Miguel Duda Schmitz.

 

Genética
Para o ano de 2018, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima o desenvolvimento de 36.360 novos casos da doença no país. As regiões Sul e Sudeste apresentam o maior índice de casos de câncer colorretal quando comparadas às demais regiões do Brasil. “Temos uma população com susceptibilidade genética (países europeus, de onde vieram grande parte de nossos ancestrais, têm alta incidência) e fatores de risco externos culturalmente muito presentes, como o alto consumo de carne vermelha.” esclarece o especialista.

 

Prevenir é fundamental
A realização de exames de rotina é importante para a detecção precoce do câncer colorretal. Fatores relacionados à alimentação também possuem influencia no desenvolvimento da doença. “A principal e mais confiável forma de prevenção é através da realização de colonoscopia com retirada de pólipos a partir dos 45 anos na população em geral. Podemos citar também a pesquisa de sangue oculto e a pesquisa de DNA do tumor nas fezes, os quais, se apresentarem resultado positivo devem ser seguidos de colonoscopia. Ainda como prevenção devemos ter uma dieta rica em fibras, baixo consumo de carne vermelha ou processada, manter a realização regular de exercícios físicos e não fumar.” salienta o coloproctologista do HC, Dr. Miguel Duda Schmitz.

 

Alta incidência
A campanha Março Marinho tem como ‘Dia D’ a data de 27 de março – Dia Nacional de Prevenção do Câncer de Intestino – e busca alertar a população sobre as principais formas de prevenção do câncer colorretal, que acomete o intestino grosso (cólon e reto). Estas campanhas educativas são fundamentais para a conscientização da população a respeito dos principais meios de diagnóstico e tratamento destes tumores. “As campanhas de prevenção tem importância fundamental baseadas em dois fatos. Primeiro podemos citar a alta incidência em nossa população, é o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres e o terceiro, entre os homens, no Brasil. E o segundo fato, de extrema relevância, é que a grande maioria dos casos de câncer de intestino é evitável. Isto é, surge a partir de lesões benignas com desenvolvimento lento chamadas de pólipos, assim, retirando esses pólipos, evita-se o câncer.”  conclui. 

Gostou? Compartilhe